PUB
Recheio 2024 Profissional

FC Porto mais próximo do título

FC Porto mais próximo do título

O  FC Porto venceu o Vitória de Setúbal, por 5-1, e repôs os dois pontos de vantagem na liderança do campeonato. Sérgio Conceição ficou satisfeito com o desempenho da equipa portista frente ao Vitória de Setúbal, reconhecendo que a entrada forte fazia parte do plano de jogo para a primeira de quatro finais na Liga NOS.

O FC Porto passou o teste Vitória de Setúbal e venceu a equipa, por 5-1, em jogo da 31.ª jornada da Liga NOS. O resultado, que permite aos portistas reassumir a liderança do campeonato, com dois pontos de vantagem sobre o Benfica, foi construído com golos de Marega (6m), Marcano (12m), Brahimi (16m), Corona (35m) e Alex Telles (72m).

O treinador dos azuis e brancos garantiu que a equipa está em forma para esta reta final do campeonato e dedicou o triunfo a Jorge Nuno Pinto da Costa, que completou esta segunda-feira 36 anos como presidente do FC Porto.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

“Competia-nos ir à procura do resultado. Sabíamos das dificuldades que o Vitória de Setúbal podia causar, nomeadamente pelo que aconteceu no ano passado. Estávamos alerta e preparados para uma entrada forte, para decidir o jogo da forma mais rápida possível. Depressa mas não à pressa. Os golos foram surgindo com naturalidade face a essa entrada forte no jogo. Mas sou um perfecionista, há sempre coisas a melhorar. Temos consciência da equipa que somos e de forma natural construímos o resultado de 5-1. O importante foi a forma como entramos em campo, conscientes do que tínhamos de fazer para ganhar”, refere Sérgio Conceição.

“Marega está como o aço. Fui gerindo porque o Marega esteve parado algum tempo. Fez um jogo com uma exigência muito grande na Luz e hoje esteve muito bem no tempo em que esteve em campo. Fiz essa gestão, como fiz com o Ricardo. A fadiga é natural na fase final do campeonato. Mas o Marega está bem, como está toda a equipa. Estamos como o aço. Aboubakar? Levei 19 mais dois guarda-redes para estágio porque sabia de uma debilidade do Aboubakar. Está com febre e não podemos utilizá-lo dessa forma.”

E acrescentou: “É importante a equipa fazer golos, a equipa vencer de forma convincente, mas não me importava nada de ganhar todos os jogos por 1-0. Chegaríamos ao fim com 34 golos marcados, 0 sofridos, e seríamos campeões. É importante fazer muitos golos mas mais importante que isso é ganhar.”

A separar os Dragões do grande objetivo estão agora três jogos. O primeiro é já no próximo domingo (18h00), no Funchal, frente ao Marítimo. “É um jogo difícil, como toda a gente sabe, mas teremos tempo para falar disso. Todos os jogos são importantes. O campeonato está cheio de jogos difíceis, porque as equipas estão numa fase decisiva da época. O Vitória luta pela permanência, o Marítimo joga pela Europa, assumimos essa responsabilidade de ir à Madeira e ganhar”, rematou Sérgio Conceição.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/novo-ano-nova-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=cpc&utm_campaign=sabebem&utm_term=leaderboardmobile