PUB
Santander Saúde

FC Porto e FC Arouca empatam (1-1), num jogo polémico, que os dragões pedem que seja anulado

FC Porto e FC Arouca empatam (1-1), num jogo polémico, que os dragões pedem que seja anulado

O jogo disputado entre o FC Porto e o FC Arouca, a contar para a 4ª jornada do campeonato português, tem dado muito que falar. A partida ficou empatada (1-1), num jogo que os dragões pedem para ser anulado.

O duelo entre portistas e arouquenses começou com domínio da equipa azul e branca, que à passagem do minuto 13 cantou golo. Após um bom cruzamento do lado direito do ataque, Mehdi Taremi cabeceou para o fundo da baliza, no entanto estava ligeiramente adiantado. Após consultar o VAR, o árbitro anulou o golo do ponta de lança iraniano, devido a um adiantamento de 32 cm.

Na resposta, decorria o minuto 33, quando Cristo González, que já passou, por exemplo, pelo Real Madrid, rematou com força, balanceado no lado esquerdo do ataque. O problema é que, pela frente, estava Diogo Costa, que disse “não” às intenções do avançado espanhol de 25 anos.

Dois minutos depois, os dragões não tardaram na resposta. Passava o minuto 35, quando após um livre para a área, Toni Martínez rematou de cabeça, em arco, numa bola que apenas foi parada pela trave. No Dragão, já se cantava golo, mas os festejos tiveram, mais uma vez, de ser guardados.

Na segunda parte, os ânimos aqueceram. Depois de algumas oportunidades do FC Porto para chegar à vantagem, foi mesmo o FC Arouca que, numa grande jogada de Cristo González, fez o 1-0. Um autêntico “balde de água fria”, no Estádio do Dragão.

Pouco depois, aí sim, começou a polémica de um jogo que ultrapassou os 22 (!) minutos de descontos. À passagem do minuto 90, o árbitro da partida, Miguel Nogueira, assinalou penálti para o FC Porto, por queda de Taremi na área.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Num lance que deixou dúvida junto da equipa de arbitragem, o VAR deu a indicação para Miguel Nogueira ir ver o lance. O problema é que… não deu para o fazer, na medida em que o árbitro não teve acesso às imagens. Passaram-se vários minutos, enquanto o juiz da partida ia discutindo o lance, através de um telefone de que dispunha.

Crescia a ansiedade no Dragão, faziam-se ouvir, cada vez mais, os assobios, até que, após vários minutos de análise, o árbitro inverteu a decisão, para descontentamento dos portistas.

Pouco depois, aos 90+13, aí sim, não houve dúvidas e Miguel Nogueira deu penálti para o FC Porto, que o desperdiçou, através de um remate de Galeno, que foi parado pelo guarda-redes do FC Arouca.

Num jogo em que já se previa que o desfecho fosse a derrota portista, aos 90+19, num lance que teve início em Iván Jaime, foi Evanilson que acabou por fazer o empate.

A partida terminou 1-1, num empate arrancado a ferros por parte da equipa de Sérgio Conceição. Pouco depois da partida, os portistas pediram a anulação da partida, alegando que “a ação de Miguel Nogueira constitui uma violação das regras de jogo e um erro de direito com potencial impacto grave no desfecho do encontro” (via FC Porto). 

Foto: Pixabay / Pexels

PUBLICIDADE

PUB
PD-Bairro Feliz