Santander Escolhas 2

Famílias portuguesas tencionam gastar 335€ no regresso às aulas

Famílias portuguesas tencionam gastar 335€ no regresso às aulas

No próximo ano letivo, as famílias portuguesas tencionam gastar uma média de 335 euros no regresso às aulas, o valor mais baixo registado nos últimos anos. A conclusão é de um estudo realizado pelo Observador Cetelem, que indica que valor está “em linha com o que foi gasto em 2020 (340 euros)”.

De acordo com os dados divulgados, 37% tenciona gastar até 250 euros, o que corresponde a menos 14 p.p. comparando com 2020, nomeadamente os encarregados de educação com filhos que frequentam o ensino pré-escolar e o 1.º ciclo.

Por sua vez, 29% dos portugueses com estudantes a seu cargo têm a intenção de gastar em média entre 251 e 500 euros, uma subida de 7 p.p. face a 2020, especialmente os inquiridos com filhos no 3.º ciclo (38%). Já 6% considera gastar entre 501 a 700 euros e apenas 1% dos inquiridos admite gastar entre 701 e 1000 euros.

“Parece haver uma relação direta entre a intenção de gastos com o regresso às aulas e o nível de ensino: no ensino pré-escolar os gastos médios são cerca de 287€ (-1% face a 20); no 1º Ciclo de 309€ (+6%); no 2º ciclo rondam os 336€ (+5%) e no 3º ciclo 368€ (-8%)”, lê-se na nota divulgada, que realça ainda que os valores aumentam a partir do ensino secundário, a custar uma média de 390€ (+1%).

Importante referir que, em 2016, as intenções de gastos dos encarregados de educação no regresso às aulas eram de 455 euros, diminuindo para 399 euros em 2017. A tendência de diminuição verificou-se também em 2019, ano em que se verificou uma previsão de gasto de 363 euros.

O inquérito em causa foi realizado a cidadãos entre os 18 e os 65 anos, residentes em Portugal Continental, que tenham dependentes em idade escolar.

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/sinta-o-natal-com-a-sabe-bem/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=sabebem70&utm_campaign=sabebemfazbem