Recheio 2023

Estudo diz que ver menos televisão pode reduzir risco de doenças cardíacas

Estudo diz que ver menos televisão pode reduzir risco de doenças cardíacas

Um novo estudo da Universidade de Hong Kong afirma que mais de um em cada 10 casos de doenças cardíacas coronárias poderiam ser evitados, se as pessoas reduzissem o tempo que passam a ver televisão, para menos de uma hora por dia.

“Reduzir o tempo gasto a ver televisão deve ser reconhecido como um alvo comportamental fundamental para a prevenção de doenças coronarianas, independentemente da suscetibilidade genética e dos marcadores de risco tradicionais”, sublinha Youngwon Kim, professor assistente da Universidade de Hong Kong e autor deste estudo, citado pelo jornal britânico The Guardian.

Youngwon Kim adianta, segundo um artigo da revista BMC Medicine, que no estudo usaram dados de 373.026 britânicos caucasianos, com idades entre 40 e 69 anos. O principal objetivo era tentar perceber se existia alguma relação entre o tempo passado a ver televisão, o ADN de cada indivíduo e o seu risco de doença coronária.

Entre os participantes do estudo nenhum possuía doença cardíaca coronária ou tinha sofrido um acidente vascular cerebral, na altura em que foram selecionados, contudo os investigadores encontraram 9.185 casos da doença.

Esta investigação sugere que quanto maior a quantidade de televisão assistida, maior o risco de desenvolver doença cardíaca coronária. Ao compararem pessoas que assistiam quatro ou mais horas de televisão por dia, com aqueles que assistiam uma hora ou menos, constataram que estes tinham um risco 16% menor de desenvolver a doença, enquanto os que assistiram duas a três horas por dia o risco foi 6% menor.

Os responsáveis por este estudo frisam que a tendência se manteve em todas as idades e todos os níveis de risco genético, embora aqueles que possuem maior risco genético de doença coronária, tenham também maior risco de desenvolver a doença.

Desta forma, assumindo que assistir a televisão está na base do aumento do risco de doença cardíaca coronária, algo que não é possível provar a 100%, o estudo estima que cerca de 11% dos casos de doença cardíaca coronária poderiam ser evitados se as pessoas reduzissem as horas passadas a ver televisão para menos de uma hora por dia, mesmo depois de contabilizar o risco genético e outros fatores.

“Limitar a quantidade de tempo passado sentado a ver televisão poderia ser uma mudança útil, e relativamente leve ao estilo de vida, que poderia ajudar indivíduos com uma elevada predisposição genética para a doença coronária a gerirem o seu risco”, refere ainda Youngwon Kim.

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/tradicao-a-precos-baixos-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=032023-edicao72utm_campaign=sabebem