PUB
Recheio 2024 Institucional

Estragos na costa marítima de Gaia preocupam deputados

Estragos na costa marítima de Gaia preocupam deputados
Eleitos pelo Porto tomaram conhecimento dos danos provocados pela agitação marítima e irão pressionar o Governo para que apoie a recuperação.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

A Câmara Municipal de Gaia e a Águas de Gaia, EEM reuniram, segunda-feira, com uma delegação constituída por cinco deputados socialistas na Assembleia da República, eleitos pelo círculo do Porto, que deixou o compromisso de pressionar o Governo a apoiar as obras necessárias à recuperação das estruturas afetadas pela forte tempestade marítima da passada semana. “O Ministério do Ambiente tem de assumir as suas responsabilidades”, declarou o porta-voz da delegação socialista, Renato Sampaio, que deixou a garantia de “pressionar o Governo a trabalhar nesta situação” e a “usar os mecanismos necessários para dar uma ajuda”. O deputado mostrou-se particularmente preocupado com a reconstrução do corredor dunar e a sua consolidação, o que, não sendo feito de imediato, poderá acarretar efeitos “muito piores”. Durante o encontro, a autarquia, através da Águas de Gaia, deu a conhecer os principais prejuízos provocados pela intempérie, que ascendem a perto de 1,5 milhões de euros só no que concerne a domínio público, e aos quais não poderá fazer face sem o apoio do Governo. A prioridade, para já, foi a limpeza dos areais e a reposição das ligações necessárias ao funcionamento normal de todos os bares de praia, que estão já todos abertos ao público.
A destruição na orla marítima gaiense é generalizada, afetando nove dos 15 quilómetros de costa. Entre os principais danos contam-se a destruição total de cinco quilómetros de passadiço, danos profundos em outros dois quilómetros desta estrutura, desaparecimento das passagens sobre linhas de água e ribeiras (só uma resistiu à intempérie), destruição de parte significativa dos sistemas regeneradores dunares ao longo de cerca de quatro quilómetros e o assoreamento das linhas de água. As zonas mais afetadas são Lavadores, Salgueiros, Valadares, Francelos e Aguda/Miramar (entre o Senhor da Pedra e a Estação Litoral da Aguda).

PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem