Philips

Escolas de Gondomar terminam obras para retirar o amianto

Escolas de Gondomar terminam obras para retirar o amianto

Na passada segunda-feira, dia 21 de junho, ficaram concluídas os trabalhos da retirada do amianto do grupo de escolas de Gondomar e para assinalar o dia, o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, visitou aEscola Secundária de São Pedro da Cova.

Em março deste ano, Gondomar tinha apenas duas escolas por remover o amianto, a Escola Secundária de Valbom e a Escola Secundária de São Pedro da Cova, contando com um investimento de 170 mil euros para concluir as renovações.

Para Tiago Brandão Rodrigues, “Gondomar é uma autarquia exemplo no que à retirada do amianto diz respeito”.

Os trabalhos para a retirada do amianto começaram em 2014 com os custos inerentes à remoção a serem assumidos pelo orçamento municipal. Em 2015, todas as escolas de 1º Ciclo e Jardins de Infância, já tinhas os trabalhos concluídos.

Em 2018, o Município avançou para a requalificação dos estabelecimentos dos 2º e 3º Ciclos, num investimento de 2,7 milhões de euros. Neste caso, não foi apenas retirado o amianto mas também existiram obras de requalificação como a remoção de placas de fibrocimento, quer a colocação de novas coberturas, assim como a melhoria das condições das salas de aula e da eficiência energética.

Segundo a Direção Geral de Saúde, “devido às suas propriedades o amianto teve, no passado, numerosas aplicações nomeadamente na indústria da construção, encontrando-se presente em diversos tipos de materiais tais como: telhas de fibrocimento, revestimentos e coberturas de edifícios, gessos e estuques, revestimentos à prova de fogo, revestimentos de tetos falsos, isolamentos térmicos e acústicos, entre outros”.

Desde janeiro de 2005 que foi proibida a comercialização e utilização deste produto segundo o Decreto-Lei nº 101/2005, de 23 de junho.

PUB
 www.pingodoce.pt/responsabilidade/bairro-feliz/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=votacao&utm_campaign=bairrofeliz