PUB
Recheio 2024 Institucional

Emídio Gomes ‘troca’ quatro sedes vazias no Porto pela do próximo COMPETE

Emídio Gomes ‘troca’ quatro sedes vazias no Porto pela do próximo COMPETE
O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) reivindica a sede do próximo Programa Operacional de Apoio à Competitividade e diz que trocava por essa as “quatro sedes vazias” que há no Porto.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Na quinta-feira, durante o encerramento das IV Jornadas entre a Associação Empresarial de Portugal (AEP) e Serralves, o presidente da CCDR-N, Emídio Gomes, lançou o mesmo apelo que já havia feito aquando da tomada de posse. “Troco de bom grado as quatro sedes vazias, no Porto, de institutos públicos pela sede do próximo Programa Operacional de apoio à Competitividade”.
“Ser consequente em matéria de política de competitividade significa tomar opções concretas como localizar numa região o próximo Programa Operacional Fatores de Competitividade. Esta é que é a verdadeira reforma do Estado”, declarou o dirigente da CCDR-N, salientando não acreditar que “um projeto gerido a 300 quilómetros seja mais bem gerido do que aqui”.
Emídio Gomes, que tomou posse em agosto e não escondeu pensar que o Porto “é o melhor sítio do mundo para se viver”, referiu que a “reindustrialização da economia portuguesa não se fará em regiões sem indústria e sem qualificação” pelo que “a solução dos problemas do país passa, de forma determinante, pelas regiões do Norte e do Centro, capitais das Pequenas e Médias Empresas”.
Para o presidente da CCDR-N, o acordo de parceria para os fundos europeus estruturais e de investimento, a ser negociado neste momento, deve integrar cinco princípios: o reforço da dotação financeira dos programas operacionais regionais face às atuais dotações, uma agenda de competitividade e de qualificações no programa operacional regional, uma “estratégia de especialização inteligente” de base regional, uma estruturação regional dos programas operacionais temáticos nacionais e a adopção de “Intervenções Territoriais Integradas”.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/novo-ano-nova-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=cpc&utm_campaign=sabebem&utm_term=leaderboardmobile