PUB
Junta da Galiza

Dois tentos de Varela garantem vitória azul e branca em Barcelos

Dois tentos de Varela garantem vitória azul e branca em Barcelos
“Foi pena termos sofrido o golo. Não o merecíamos, pelo futebol praticado, mas o mais importante foi termos vencido de forma convincente”, defendeu o treinador do FC Porto, que derrotou este domingo o Gil Vicento, por 2-1.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

O FC Porto venceu, este domingo, o Gil Vicente, em Barcelos, por 2-1, na 19.ª jornada da I Liga de futebol, com dois golos assinados por Varela: um aos 18 minutos e outro já no segundo tempo, aos 53. O conjunto de Barcelos, que enfrenta uma fase “negra” – sem vitórias há dez jogos, apresentou apenas uma alteração, com César Peixoto, castigado, a ser substituído por Luís Silva. Do lado dos “dragões”, o onze escolhido foi o mesmo da última jornada. Os azuis e brancos lançaram-se ao ataque desde o início e, aos 10 minutos, Josué, com um grande pormenor técnico, tirou Luís Martins e Hallison da jogada e ficou na cara do guarda-redes gilista, ainda que a tentativa de “chapéu” tenha saído demasiado alta. O conjunto de Paulo Fonseca inaugurou o marcador aos 18 minutos, com Varela a cabecear de forma irrepreensível, após um bom centro de Herrera. Já na segunda parte, o Gil Vicente ficou perto do empate, mas Hugo Vieira não conseguiu aproveitar uma hesitação de Abdoulaye após um lançamento lateral e um desvio de cabeça de João Vilela. Assim, foi o FC Porto que voltou a abalar o marcador, novamente por Varela, aos 53 minutos. Ainda assim, dois minutos depois, a turma de Barcelos reduziu, por Hugo Vieira, que, à entrada da pequena área, deu o melhor seguimento a uma assistência de Diogo Viana, da direita.
No final da partida, o técnico do FC Porto comentou que a única nota negativa do jogo foi mesmo “o golo sofrido”. “Fizemos uma excelente primeira parte, com inúmeras situações de golo e momentos de bom futebol”, sublinhou, acrescentando que, “na segunda parte”, o FC Porto esteve “sempre a mandar no jogo, sem permitir que o Gil saísse com perigo”. “Foi pena termos sofrido o golo. Não o merecíamos, pelo futebol praticado, mas o mais importante foi termos vencido de forma convincente”, concluiu.

PUBLICIDADE

PUB
Prémio Literatura Infantil Pingo Doce