PUB
Recheio 2024 Institucional

Deco regressa ao Dragão para jogo de despedida

Deco regressa ao Dragão para jogo de despedida

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
“Não faria sentido que este jogo pudesse ser feito em outro local que não no Porto”, disse o antigo camisola 10 do FC Porto.

Deco vai reunir na sexta-feira, às 19h45, no relvado do Estádio do Dragão, no Porto, amigos e ex-companheiros com quem partilhou dois momentos especiais da sua vida futebolística: a conquista da Liga dos Campeões Europeus pelo FC Porto em 2004 e o mesmo feito pelo FC Barcelona em 2006.
“O FC Porto foi o clube em que eu passei mais anos, onde a minha carreira deu um salto para outro nível, e que, depois, me abriu as portas do Barcelona e da seleção Portuguesa. Não faria sentido que este jogo pudesse ser feito em outro local que não no Porto”, disse o antigo camisola 10 do FC Porto.
Entre os craques que participarão nesta “festa bonita para quem gosta de futebol”, contam-se vários jogadores emblemáticos dos “dragões” como Vítor Baía, Jorge Costa, Maniche, Benny Mcharthy, Derlei e muitos outros, enquanto que do lado do Barcelona marcarão presença Messi, Xavi, Iniesta, Ronaldinho e Eto’o.
“Foi difícil conseguir encontrar calendário, porque há jogadores que ainda estão no ativo e outros que já acabaram mas agora são treinadores. Foi complicado, mas consegui reunir um bom grupo”, disse Deco.
O antigo médio realçou ainda a relação “muito especial” que tem com o presidente Pinto da Costa. “Tenho por ele uma grande amizade e respeito. Quando lhe falei deste jogo houve logo disponibilidade. Ele tem consciência que a história de um clube também é feita pelas pessoas que passam e deixam a sua marca”, confidenciou.
Deco jogou nas últimas épocas da sua carreira futebolística no Fluminense, numa decisão que se deveu a motivos pessoais, e que condicionaram um eventual regresso ao FC Porto.
Atualmente Deco tem trabalhado no campo do agenciamento, com o empresário Jorge Mendes, mas também se tem envolvido em projetos de consultadoria, um desafio que o tem cativado.
“Temos feito um trabalho no Gabão, a ajudar a criar uma liga profissional e um projeto com a federação local, para qualificar a seleção para o próximo mundial. Já levámos o Jorge Costa para lá, mas há ainda um trabalho de muita formação a fazer para termos resultados”, referiu.

PUBLICIDADE

PUB
PD-Bairro Feliz