PUB
Prémio Literatura Infantil Pingo Doce

Curtas Vila do Conde dedicado ao Futebol

Curtas Vila do Conde dedicado ao Futebol
De 5 a 13 de julho, Vila do Conde será, mais uma vez, ‘capital’ do cinema. O prazo para envio de curtas-metragens para a Competição Nacional termina a 23 de maio.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

A 22.ª edição do Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema que decorre entre 5 e 13 de julho – contará com um programa especial dedicado ao Futebol e uma homenagem a Michelangelo Antonioni. A Competição Nacional continua a ser uma das principais apostas do Curtas Vila do Conde, sendo aguardado com alguma expectativa o resultado final do número de filmes inscritos, dados os cortes orçamentais ocorridos nos apoios ao cinema, sobretudo nos últimos dois anos. O Curtas Vila do Conde é uma das principais montras de divulgação dos filmes de curto formato realizados pelos cineastas portugueses, sendo as sessões da Competição Nacional as mais concorridas do Festival.
A programação para a 22.ª edição do festival promete, entretanto, muitas outras novidades. Desde logo, um programa especial dedicado ao Futebol. Em ano de Mundial, o ‘Curtas’ dedica parte da sua programação à relação entre o cinema e o desporto-rei. Gerador de ódios e paixões, o futebol é dos poucos desportos que mobiliza multidões, não sendo, por isso, de estranhar que existam mais países ligados à Federação Internacional de Futebol (FIFA) do que à Organização das Nações Unidas (ONU).  E no ano em que o Brasil acolhe o Mundial de Futebol, o Curtas de Vila do Conde une as paixões em torno do futebol e do cinema, reservando um lugar na primeira fila para os adeptos cinéfilos assistirem ao “Fora de Jogo”.
Outro dos principais focos da programação será a exposição dedicada ao legado estético de Michelangelo Antonioni em elaborações da arte contemporânea, ocupando o espaço da Solar – Galeria de Arte Cinemática (inauguração marcada para o dia 21 de junho). O realizador italiano é um nome central do cinema moderno e da sua capacidade em reestruturar as convenções clássicas, destruindo as suas causalidades narrativas. “Aventura Antonioni” é, assim, um momento em que a história do cinema encontra o seu futuro.
No plano competitivo, para além da sempre muito aguardada Competição Nacional, assinala-se o regresso da Competição de Vídeos Musicais. Esta é uma das mais jovens competições do Festival – começou em 2005 – e tem premiado um conjunto de autores de vanguarda da arte digital e de uma cinematografia inovadora, criando objetos visuais surpreendentes. A Competição Internacional exibirá uma seleção de cerca de 40 filmes de diferentes países, mas as restantes competições também serão uma excelente oportunidade para assinalar as melhores curtas-metragens do último ano.
As secções Curtinhas e Take One! são dedicadas à formação de públicos e, fruto do sucesso que têm vindo a alcançar, são apostas para manter. No Curtinhas, os miúdos terão oficinas e espaços dedicados a uma aprendizagem lúdica do cinema e ainda sessões de cinema para diferentes idades. No Take One!, para além da competição de filmes de escola, haverá masterclasses e mais uma edição do VideoRun. Também as habituais secções de Panorama – Português e Europeu – exibirão curtas-metragens de produção recente.
Este ano, o sempre apetecido palmarés do Curtas Vila do Conde será reforçado com três novos prémios, atribuindo mais de uma dezena galardões. As principais novidades no palmarés são o prémio DigiMaster, para o melhor realizador português, e os prémios TAP Portugal, para melhor média metragem portuguesa de ficção e melhor média metragem de documentário português.

PUBLICIDADE

PUB
PD-Bairro Feliz