Sogrape

Cortes nas bolsas geram protesto dos estudantes

Cortes nas bolsas geram protesto dos estudantes

“Apesar de existirem alunos que desconhecem se o seu processo já está concluído, a verdade é que estamos a meio do ano letivo e apenas foram aprovadas 2654 bolsas. No ano passado (2010/2011) foram entregues 4419 bolsas”, salientou. O dirigente estudantil falava numa ação de protesto, realizada em frente à Reitoria da Universidade do Porto, para reivindicar “um sistema de ação social mais justo, transversal e célere”. Segundo Ricardo Cardoso, o atual regulamento “retirou do sistema de ação social cerca de 40 mil estudantes, dos quais seis mil abandonaram o ensino superior por falta de capacidade para suportar os custos associados a essa frequência”. Num documento entregue na reitoria, os estudantes consideram que a principal razão impeditiva da estabilidade do sistema de ação social é a publicação do regulamento de atribuição de bolsas de estudo que deveria estar disponível “em tempo útil e antes da fixação de qualquer prazo de candidatura”, sugerindo como data limite o dia 30 de abril.  Para este protesto, organizado pela AEFEUP, foram convidados todos os estudantes do ensino superior, mas foram menos de 50 os que participaram. O gabinete de imprensa da Universidade do Porto corrige os dados e refere que “foram aprovadas, até ao momento, 2825” e há “umas dezenas de casos em apreciação de recurso da primeira decisão”. Quanto aos números do ano anterior estão corretos. “A diferença do número de bolsas atribuídas são motivadas pelas alterações legislativas ao regime de atribuição de bolsas de estudo”, acrescenta a informação da UP.
PUB
 www.pingodoce.pt/responsabilidade/bairro-feliz/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=votacao&utm_campaign=bairrofeliz