Bairro Feliz - Pingo Doce

Como prevenir o lixo marinho proveniente da pesca

Como prevenir o lixo marinho proveniente da pesca

O lixo marinho é um problema ambiental atual, que ameaça a saúde dos nossos oceanos, a sobrevivência da vida marinha e o fornecimento de vários bens e serviços. O setor da pesca é uma das atividades que contribui para o lixo marinho, mas também uma das mais diretamente afetadas por este problema ambiental.

O projeto NetTag – Tagging fishing gears and enhancing on board best-practices to promote waste free fisheries, tem como objetivo reduzir e prevenir o lixo marinho produzido pelas pescas. Baseia-se em atividades sinergéticas entre pescadores e cientistas de diversas áreas de investigação, de modo a desenvolver soluções inovadoras para responder à necessidade urgente de redução e prevenção de lixo marinho. Através de uma abordagem integrada e preventiva, o projeto visa (i) reduzir a quantidade de artes de pesca perdidas, através do desenvolvimento de novas tecnologias, que permitirão aos pescadores localizar e recuperar as suas artes de pesca em caso de perda; e (ii) promover melhores práticas a bordo relativas à gestão de resíduos, através de ações de sensibilização organizadas por pescadores para pescadores.

É um projeto financiado por fundos europeus (EASME-EMFF), que arrancou em janeiro de 2019 e liderado pelo Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR) da Universidade do Porto. Com uma equipa multidisciplinar, junta investigadores das ciências naturais (CIIMAR-Portugal), sociais (UAVR-Portugal) e económicas (USC-Espanha), engenheiros (INESC TEC-Portugal, UNEW-UK) e a indústria pesqueira, através de duas associações de pescadores (APMSHM-Portugal e ARVI-Espanha) e uma empresa privada de produção de redes de pesca (EURONETE).

A tecnologia em desenvolvimento envolve pequenos localizadores de baixo custo e amigos do ambiente, que ao serem colocados nas redes permitem apenas ao pescador dono da arte saber a sua posição, através de recetores acústicos colocados a bordo. Está também em desenvolvimento um sistema robótico automatizado, que inclui um veículo submarino operado remotamente para facilitar o processo de recuperação das artes perdidas. Esta abordagem tecnológica, que tem sido desenvolvida em colaboração com os vários parceiros da indústria pesqueira do projecto, irá em breve ser testada e validada pelos pescadores parceiros do projeto, através de testes de demonstração no terreno.

As ações de sensibilização são dinamizadas pelas associações de pescadores (ARVI e APMSHM) para os seus membros, ou seja, de pescador para pescador. Esta estratégia inovadora visa uma abordagem de proximidade, de forma a envolver a indústria pesqueira na melhoria das boas práticas a bordo relativas à gestão do lixo. Foram já realizados vários workshops em Portugal e Espanha, onde a problemática do lixo marinho e, também que ações pode o setor adotar para ajudar a reduzir o lixo marinho, foram debatidas pelos 60 pescadores participantes. O projeto também contempla ações de fishing for litter, o Clean Ocean Day, eventos que visam quantificar e classificar o lixo produzido a bordo e o lixo recolhido nas redes durante um dia comum de pesca. Os pescadores participantes acreditam que estas ações de sensibilização são essenciais e deviam ser obrigatórias para o setor.

O NetTag inclui ainda a avaliação do impacte ambiental das redes fantasma, através de experiências laboratoriais e experiências em ambiente real de modo a avaliar o perigo destas redes como um novo poluente. Está também a ser avaliado o impacto socioeconómico do lixo marinho no sector pesqueiro, através de entrevistas e workshops participativos com pescadores, que permitiram já aferir que o lixo marinho acarreta significativas perdas económicas na atividade pesqueira.

Esta parceria com os pescadores tem sido uma abordagem ganhadora, permitindo ajustar as diversas propostas do NetTag à realidade do sector pesqueiro. O NetTag pretende assim contribuir para a redução de redes perdidas e prevenção do lixo marinho, nomeadamente do lixo produzido a bordo, promovendo a protecção dos ecossistemas marinhos, bem como a participação activa da indústria pesqueira nas políticas de sustentabilidade ambiental.

Sandra Ramos, Marisa Almeida e Daniela Castelo
Projeto NetTAG

PUB
www.pingodoce.pt/responsabilidade/bairro-feliz/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=070521-bairro&utm_campaign=bairrofeliz

Viva! no Instagram. Siga-nos.