PUB
Recheio 2024 Profissional

Comerciantes do Bolhão vão para centro comercial La Vie Porto durante as obras de remodelação

Comerciantes do Bolhão vão para centro comercial La Vie Porto durante as obras de remodelação

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
O centro comercial La Vie Porto vai acolher, temporariamente, a partir do primeiro trimestre do próximo ano e durante cerca de dois anos, os comerciantes do Mercado do Bolhão.

No final da reunião extraordinária pública do executivo, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, afirmou que “o La Vie é de caras a melhor solução” para o mercado temporário, por se situar muito próximo do Bolhão, e por “ser um sítio muito confortável com boas ligações ao metro”.
Os comerciantes vão ficar instalados nesse centro comercial durante o período de realização das obras de restauro e modernização do mercado, prevista para o primeiro trimestre de 2019 e que iniciará a primeira fase já no início do mês agosto.
“Estamos a fazer um mercado para os próximos 30 anos”, afirmou o autarca, acrescentando que a cidade vai ter “um mercado tradicional, de frescos” e a autarquia vai “respeitar e preservar os direitos” de todas as pessoas “que ainda lá trabalham”, elogiando o facto de terem “resistido tanto tempo”.
Rui Moreira sublinhou que, no final da empreitada, o mercado será sustentável com uma ocupação de 80% e admitiu conseguir “ir buscar outras receitas na área do ‘merchandising’ e do mecenato”.
“Acreditamos que isto não vai onerar as contas futuras da Câmara”, vincou, acrescentando que, mesmo sem a verba do PEDU destinada ao Bolhão, “a Câmara tem neste momento os recursos financeiros disponíveis para esse investimento” global de 27 milhões de euros.
O autarca portuense disse ainda não considerar que a existência de um mercado temporário durante dois anos acabe com o Bolhão, afirmando que os lojistas “vão precisar de um tempo de adaptação às novas regras”, sendo que a câmara acabou por “fechar os olhos a um conjunto de ilegalidades” durante muito tempo.
Para Rui Moreira, este projeto de restauro e modernização do Bolhão “é muito prudente e pouco aventureirista”.
“Estamos a fazer isto muito virado para as pessoas, muito destinado aos cidadãos do Porto e arredores, com questões logísticas acauteladas. Não vamos ter aqui uma Disneyland, vamos ter um mercado mesmo, onde pretendemos que as pessoas voltem a fazer compras, e também assim acreditamos que as pessoas voltem a viver na cidade”, afirmou o autarca.

PUBLICIDADE

PUB
Prémio Literatura Infantil Pingo Doce