PUB
Philips S9000

Coliseu do Porto apresenta experiência multissensorial

Coliseu do Porto apresenta experiência multissensorial

O histórico Coliseu do Porto arrancou o mês de abril com a apresentação de uma nova experiência multissensorial, intitulada “Mantras”. O projeto, que inclui uma identidade visual e sonora, criada, maioritariamente, por artistas da cidade, pretende dotar “a sala, o o foyer, os corredores e o átrio de entrada com novos sons e imagens” e dar ao público a oportunidade de se “relacionar com uma experiência multissensorial alargada, que quer ir além do que se passa no palco”.

“A partir de agora, o Coliseu está sempre habitado, numa residência artística permanente, por parte de alguns artistas que são património imaterial do Coliseu, e de outros que esperamos que se liguem a esta casa para sempre. É um laço afetivo. Mantras de identidade pessoal e de intervenção artística no espaço”, refere Miguel Guedes, responsável pela direção do Coliseu, desde fevereiro.

Os Mantras do Coliseu” têm associados os nomes de Pedro Abrunhosa, Manel Cruz, Pedro Burmester & Ricardo Burmester, Surma, Noiserv, Carlos Azevedo e Alexandre Soares, as vozes dos poetas Pedro Lamares e Filipa Leal, e André Tentúgal, na videografia.

De acordo com a nota divulgada, Pedro Burmester, um dos maiores pianistas portugueses, foi desafiado a interpretar um trecho musical clássico, e escolheu fazê-lo a quatro mãos, ao lado do seu filho, Ricardo Burmester; David Santos, nome que materializa o projeto Noiserv, inspirou-se nas sonoridades mais alternativas; Manel Cruz, a voz dos Ornatos Violeta, dedicou o seu trecho musical aos públicos infantojuvenis; Surma, nome artístico de Débora Umbelino, transpôs para notas musicais a sua identidade eletrónica; Carlos Azevedo, compositor e pianista de música clássica e jazz, puxou da memória da primeira vez que o pai o levou a ver Circo no Coliseu para criar um Mantra circense. “Os Mantras do Foyer ficam completos com a sonoridade original de um artista com o qual o Coliseu tem uma ligação histórica e umbilical: Pedro Abrunhosa”, lê-se.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

No átrio de entrada do Coliseu e na Sala Principal, por sua vez, vai soar, em exclusivo, o Mantra de Alexandre Soares, que vai aquecer ainda mais o ambiente e a expectativa pelo espetáculo que se iniciará em poucos minutos. O eclético cofundador dos GNR, Três Tristes Tigres e Osso Vaidoso dará “as boas-vindas ao público com uma sonoridade pulsante, centrada na guitarra e nos sintetizadores”.

“Aos Mantras musicais, os poetas e diseurs portuenses Pedro Lamares e Filipa Leal vão acrescentar notas e pistas poéticas sobre o espetáculo da noite e a identidade do Coliseu”, acrescenta ainda o comunicado divulgado, referindo que os mantras musicais e poéticos se complementam com o mantra visual videográfico da autoria de André Tentúgal.

De referir que todos os meses são temáticos. Em abril, o tema do projeto é a “Diversidade”, que conflui no subtema da “Voz”, uma vez que este mês se assinala o Dia Mundial da Voz.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/uma-pascoa-saborosa-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=0324-sabebem78&utm_campaign=sabebem