PUB
Philips S9000

Código de cores para daltónicos cada vez mais universal

Código de cores para daltónicos cada vez mais universal

A chancela criada pela Sonae vem juntar-se às já muitas empresas e instituições que viram no ColorADD uma forma de inclusão, fácil de adotar e de apreender.
Depois dos hospitais de São João, no Porto, e dos Capuchos, em Lisboa, do Metro do Porto e de empresas de diferentes setores – das tintas ao vestuário e calçado – terem introduzido o ColorADD, o código criado por Miguel Neiva chegou também ao desporto, tendo sido utilizado nos jogos da CPLP – Comunidade de Países de Língua Portuguesa, em 2012.
Mais recentemente, Miguel Neiva fechou parcerias com empresas como a Sorema (têxteis-lar), a Sinalux (sinalização de segurança fotoluminescente), a Classic Toys (brinquedos didáticos) ou a TNL, uma empresa portuguesa de inovação tecnológica global que está a implementar o ColorADD em todos os seus contentores. Desde dezembro que o código de cores para daltónicos marca ainda presença na exposição permanente do Museu dos Transportes e Comunicações, no Porto, denominada «Comunicar no Século XXI». Institucionalmente, surge também no Museu Nacional do Desporto e integrou a Semana Europeia da Mobilidade de 2012, como parceiro de acessibilidades (referenciação de espaços e mapas de orientação). Em negociação está aquele que poderá ser um dos maiores impulsos para o ColorADD: a sua inclusão nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro de 2016.
Como corolário de todo este sucesso, e da aceitação que o ColorADD tem conquistado, Miguel Neiva foi distinguido, pela Presidência da Assembleia da República, com a medalha de Ouro Comemorativa do 50.º aniversário da declaração Universal dos Direitos do Homem, no passado dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. O criador do código de cores para daltónicos revela-se “orgulhoso” por verificar que o objetivo da criação do ColorADD está a ser cumprido: “a cor para todos, mesmo para aqueles que não a vêem ou distinguem, é, cada vez mais, uma realidade”. “É neste sentido que continuamos a trabalhar, na expetativa de ser sempre crescente o número de empresas e de instituições que adaptam o código, que só assim poderá tornar-se realmente universal”, acrescentou o designer.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/uma-pascoa-saborosa-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=0324-sabebem78&utm_campaign=sabebem