Philips

Casa Januário

Casa Januário

Está na família desde que se ergueu a primeira pedra. Foi fundada pelo avô Januário, cujo sonho era ter uma mercearia própria, conta-nos Nuno Torgal, que faz, já, parte da terceira geração a gerir esta mercearia, na companhia da irmã mais velha. A Casa Januário, situada na Rua do Bonjardim, ali bem perto da Trindade, é uma loja que respira história e tradição. Para os amantes de decoração de bolos e compotas, chãs, café e bolachas, este é, realmente, um local de paragem obrigatória.

Mas, nem sempre a Casa Januário rimou com doçaria! “Na altura, o meu pai começou a aperceber-se que existiam senhoras que faziam alguns bonecos em pasta de açúcar e colocou aqui na loja. A pouco e pouco, essa área começou a ser mais conhecida e mais procurada e hoje em dia, embora não seja a principal, podemos dizer que é uma das mais importantes”, destaca.

E se em 1926, altura em que foi fundada, tudo era pedido ao balcão, hoje em dia os clientes podem percorrer a loja e servirem-se, eles próprios, de todos os produtos – uma medida, também, introduzida pelo pai de Nuno, que se começou a aperceber que “muito mais do que irem a uma mercearia e serem atendidas”, aquilo que as pessoas realmente gostavam era de entrar dentro no espaço. E assim fez, abrindo as portas aos seus clientes!

De uma forma geral, o atual proprietário confessa não ter alterado muito daquilo que já havia sido feito e introduzido pelas gerências anteriores. “A mercearia que nós vemos hoje em dia já era muito a mercearia que existia no tempo do meu avô. Nós só a adaptamos, ou seja, demos-lhe outro aspeto”, confessa, acrescentando que aquilo que pretendem é que a Casa Januário tenha a traça mais original possível e, sobretudo, que mantenha a tradição pela qual é conhecida.

“Hoje em dia quase tudo o que nós temos vendemos a granel”, revela, uma vez que considera que as pessoas valorizam, cada vez mais, esse fator, possivelmente por sentirem que “é mais fresco” e que não há necessidade “de comprarem aquilo que às vezes é vendido às 250g quando podem comprar apenas 100g, por exemplo”. A par dos, já habituais, produtos de mercearia e do mundo decorativo dos bolos, a parte da fruta desidratada, dos frutos secos, das especiarias e dos vinhos são, também, uma verdadeira perdição. De forma a acompanhar as novas tendências, a Casa Januário goza também de uma vasta variedade de produtos dietéticos e sementes que, hoje em dia, têm cada vez mais procura.

Mas, neste conceituado espaço da cidade do Porto, não se vende apenas aquilo que está exposto na loja. Nuno Torgal e a irmã vão ouvindo sempre aquilo que os clientes solicitam, razão pela qual “se houver alguém que tenha uma vontade ou algum pedido especial, estamos sempre abertos” a esse tipo de sugestões, indica. E este atendimento personalizado, passado de gerência para gerência, e consequentemente para as suas colaboradoras, é já uma identidade muita antiga da Casa Januário, e a qual muito envaidece os proprietários.

(Junho de 2019)

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/sabe-bem-ha-10-anos-a-mesa-consigo/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=100521-ta5&utm_campaign=sabebem61

Viva! no Instagram. Siga-nos.