PUB
Recheio 2024 Institucional

Casa do Infante inaugura “As marcas que ficam: a publicidade em Cruz Caldas”

Casa do Infante inaugura “As marcas que ficam: a publicidade em Cruz Caldas”

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
A mostra é composta por cartazes concebidos para promover localidades, exposições de arte, eventos desportivos, campanhas cívicas, peças de teatro, produtos comerciais e ainda pequenos anúncios para a imprensa periódica, logotipos e embalagens.

A Casa do Infante vai inaugurar esta quinta-feira, às 18h00, uma mostra de obras originais do artista plástico António Cruz Caldas, criada a partir do espólio doado à autarquia portuense e cujo tema central é o trabalho de publicidade que o artista desenvolveu ao longo da sua carreira.
Em comunicado enviado às redações, a Câmara do Porto explicou que a exposição, intitulada “As marcas que ficam: a publicidade em Cruz Caldas”, é composta por cartazes concebidos para promover localidades, exposições de arte, eventos desportivos, campanhas cívicas, peças de teatro e produtos comerciais e ainda por pequenos anúncios para a imprensa periódica, logotipos e embalagens.
O portuense Cruz Caldas (1897-1975), artista gráfico, cartoonista e publicitário, era filho de um escultor de imagens religiosas, José Fernandes Caldas, e afilhado de dois dos mais importantes artistas portuenses da época, Aurélia de Souza e António Teixeira Lopes. “Como publicitário desenvolveu o seu trabalho sobretudo na Empresa do Bolhão e foi autor de incontáveis cartazes, anúncios e embalagens. Trabalhou também no meio teatral concebendo cenários, panos de boca de cena, cartazes, folhetos e programas para espetáculos”, pode ler-se na mesma nota de imprensa. Durante a sua vida, caricaturou um sem número de figuras do desporto, da arte e da política, sendo este talento reconhecido pela Sociedade Nacional de Belas Artes, que lhe atribuiu por duas vezes o Prémio de Caricatura Leal da Câmara.
De referir que o arquivo de António Cruz Caldas foi doado à Câmara do Porto pelas suas filhas, em 2009, e encontra-se no Arquivo Histórico Municipal/Casa do Infante. A exposição poderá ser vista até ao dia 31 de agosto.

PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem