Philips

Câmara de Santo Tirso vai resgatar concessão da água

Câmara de Santo Tirso vai resgatar concessão da água

A Câmara Municipal de Santo Tirso vai resgatar a concessão da água à empresa Indaqua e avançar com a criação de uma empresa municipal, que vai permitir reduzir 35 por cento a fatura da água dos munícipes e introduzir uma tarifa social e um tarifário para famílias numerosas, anunciou.

“Não me podia resignar com a situação de injustiça de que está a ser vítima a população do concelho, obrigada a pagar a água mais cara do país”,
afirmou Alberto Costa, presidente da Câmara Municipal, adiantando que a decisão tomada resultou “de um caminho longo e difícil em defesa do superior interesse público”. 

Dos vários “modelos estudados” esta foi a melhor opção para o autarca, uma vez que “permite reduzir 35 por cento os tarifários, garante uma gestão altamente profissional que assegura os padrões de qualidade existentes, abre caminho à possibilidade de se avançar para uma empresa intermunicipal”. 

Segundo a autarquia, com a redução anunciada, um “utilizador doméstico de até 15m3, que atualmente tem uma fatura anual de 362 euros, terá uma poupança média de 127 euros”. Por sua vez, “no caso de um utilizador não doméstico, até 15m3, com um consumo médio anual de 466 euros, a poupança será de 251 euros”. 

Adicionalmente à redução geral do tarifário, será ainda introduzida uma tarifa social destinada aos munícipes mais carenciados, bem como um desconto para as famílias numerosas, à semelhança do que acontece com o serviço de saneamento. 

A decisão “carece de aprovação da Assembleia Municipal, envolvendo todos os partidos numa decisão que tem implicações no futuro do município”, concluiu o autarca. 

A nota divulgada pelo município esclarece ainda que face aos “termos do contrato de concessão em vigor”, o resgate terá “efeito nos tarifários a partir de janeiro de 2023”, uma vez que a autarquia “tem de comunicar a decisão mediante um aviso prévio com dois anos de antecedência”. 

“Até lá, a concessionária continuará a gerir e a explorar a rede de abastecimento de água”.  

A propósito da indemnização de 12 milhões de euros, o município explica que os encargos serão “suportados pela própria operação do serviço”. 

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=092022-carnepicadaangus&utm_campaign=sabordomes