PUB
Sogrape - Mateus Rosé

Astrofísico do Porto ajuda a detetar planeta “invisível” Kepler-88c

Astrofísico do Porto ajuda a detetar planeta “invisível” Kepler-88c
A equipa europeia que Alexandre Santerne integra utilizou o espetrógrafo “Sophie” para identificar a presença e calcular a massa do exoplaneta Kepler-88c.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

O investigador do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) Alexandre Santerne participou na descoberta do planeta “invisível” Kepler-88c, detetado a partir das perturbações gravitacionais provocadas no planeta irmão Kepler-88b. Tal como explicou o CAUP, em comunicado, a equipa europeia que o português integra utilizou o espetrógrafo “Sophie” para identificar a presença e calcular a massa do exoplaneta Kepler-88c. Num estudo efetuado por uma equipa liderada por David Nesvorný (EUA), estimou-se que o sistema Kepler-88 tivesse dois planetas: um que transita (Kepler-88b), cujo período orbital é fortemente perturbado por um outro planeta que não transita (Kepler-88c). Os dois planetas são comparados à configuração da Terra e de Marte: um completa 2 órbitas no mesmo período que o outro completa apenas uma (o planeta vermelho orbita o Sol em cerca de 2 anos). De acordo com o Centro de Astrofísica, esta é a primeira vez que a massa de um exoplaneta “invisível”, calculada com base em Variações no Tempo de Trânsito, é confirmada de forma independente por outra técnica.

PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem