PUB
Recheio 2024 Institucional

Assembleia Municipal do Porto aprova nova delimitação da Área de Reabilitação Urbana da Corujeira

Assembleia Municipal do Porto aprova nova delimitação da Área de Reabilitação Urbana da Corujeira

A Área de Reabilitação Urbana (ARU) da Corujeira, em Campanhã, foi reconhecida, na segunda-feira, por todos os partidos com assento na Assembleia Municipal do Porto como um instrumento de gestão territorial de grande importância para intervir num território “deficitário”.

Aprovada por unanimidade, a ARU da Corujeira corresponde à área mais central de Campanhã e é imediatamente contígua à ARU de Campanhã-Estação, já com Operação de Reabilitação Urbana (ORU) aprovada, passando a abranger um território com cerca de 262 hectares.

Segundo a agência Lusa, citada pela Rádio Nova, a delimitação territorial da ARU da Corujeira passará a ser, a Norte, feita pelo eixo formalizado pelas ruas de Santo António de Contumil / da Presa de Contumil / de Amorim de Carvalho, pelas construções envolventes às ruas de Baixo de Souto e de Avelino Ribeiro, pelo traçado ferroviário da linha do Minho e pela rua da Ranha e pela Estrada da Circunvalação (N12).

A Nascente, a nova delimitação é feita pela Estrada da Circunvalação (desde o Centro Comercial Parque Nascente até ao cruzamento com a rua Igreja de Campanhã) e pelas construções envolventes às ruas de Azevedo, do Lagarteiro, de Tirares e do Pêgo Negro e que estruturam os núcleos históricos do Pêgo Negro e Parque Oriental.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Já a Sul Poente, esta delimitação é feita pela Via de Cintura Interna (A20), pelas construções envolventes às ruas de Contumil e de Antero de Araújo e pela Travessa Fonte de Contumil – pela Autoestrada A43.

Na sua intervenção, o presidente Rui Moreira esclareceu que “a integração da ORU da Corujeira com a de Campanhã-Estação e com uma futura que está a ser trabalhada, a de Azevedo”, articula-se com o que está contemplado no Masterplan Estratégico do Porto Oriental, que envolve a requalificação do Matadouro, a construção do Terminal Intermodal e de outras obras estruturantes, como a duplicação do Parque Oriental ou a construção da nova ponte sobre o Rio Douro.

“Era muito perigoso estarmos a fazer ilhas dentro do território. Há uma estratégia que começa nesta zona de Campanhã – Corujeira, Campanhã -Estação, Azevedo – e mais tarde teremos que ir para Contumil, área que também já está contemplada no Masterplan [estratégicco]”, explicou o autarca, acrescentando que este é um documento cujos objetivos estratégicos não vão ser todos concretizados neste mandato.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/uma-pascoa-saborosa-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=0324-sabebem78&utm_campaign=sabebem