PUB
Recheio 2024 Profissional

Aos seus lugares, que a nova época do Teatro Nacional São João vai começar!

Aos seus lugares, que a nova época do Teatro Nacional São João vai começar!

Saudades de desfrutar de uma boa peça de Teatro? A boa notícia é que não vai precisar de esperar muito mais, até porque o Teatro Nacional São João (TNSJ), no Porto, está prestes a arrancar, no dia 11 de setembro, com a peça “O Canto do Cisne”, da autoria de Tchékhov, interpretado pela Seiva Trupe. 

Ao todo, feitas as contas, são 7 novos espetáculos que o TNSJ irá exibir, no seu espaço, sendo que não irá passar em branco a celebração dos 50 anos do 25 de abril.

De acordo com as declarações feitas, em conferência de imprensa, pelo presidente do Conselho de Administração, Pedro Sobrado, e tal como cita o Porto Canal, “vamos começar sem nostalgia pelo final do verão, porque quando o teatro reabre é a primavera”.

Assim, depois de abrir a nova época 2023/24, com “O Canto do Cisne”, a peça que se segue é “O Salto”, escrito e encenado por Tiago Correia, que vai ser estreada no Teatro Carlos Alberto, no dia 21 de setembro.

Poucos dias depois, é a vez das cortinas se subirem para dar palco à peça “Bantu”, dirigida artisticamente por Vítor Hugo Pontes, numa coprodução “tripartida” entre o Teatro da Didascália, a Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão e o TNSJ.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

E por falar em “tripartida”, é precisamente assim que estará a agenda relativa ao mês de novembro. Isto, na medida em que existirão 3 grandes estreias: “Salomé”, da autoria de Oscar Wilde, encenado por Mónica Cale (2 de novembro); “A Ascensão de Arturo Ui”, da autoria de Bertolt Brecht, encenado por Bruno Martins (9 de novembro); “Maria Coroada”, da autoria de João Garcia Miguel, dirigido por Amândio Anastácio e João Garcia Miguel (23 de novembro).

Já o último mês do ano, dezembro, traz-nos, a partir do dia 7, a peça “Um Sonho”, da autoria de August Strindberg, encenada por Bruno Bravo.

É de máxima importância destacar, ainda, as três grandes peças que o TNSJ irá estrear sobre os 50 anos da “Revolução dos Cravos”, isto é, do 25 de abril. Será produzido “Fado Alexandrino”, da autoria de António Lobo Antunes; “O 25 de abril nunca aconteceu”, da autoria de Ricardo Alves; assim como “Grandes comemorações oficiosas do período histórico habitualmente conhecido como PREC”, da autoria de Gonçalo Amorim e Rui Pina Coelho (via Porto Canal).

O verão está prestes a acabar, mas nem tudo são más notícias, até porque já não falta muito para se subirem as cortinas e começar a ser hora de ir ao Teatro Nacional São João. Assim sendo, aos seus lugares, que os espetáculos estão quase a começar!

Foto: TNSJ / Peça “Calvário”

PUBLICIDADE

PUB
PD- Revista Sabe bem