PUB
Recheio 2024 Institucional

Animais de estimação são “família” para maior parte dos moradores do distrito do Porto

Animais de estimação são “família” para maior parte dos moradores do distrito do Porto

A maior parte dos cidadãos residentes no distrito do Porto (69,5%) têm um animal de estimação, considerando-o “fundamental” no seu núcleo familiar, concluiu um estudo desenvolvido pela Royal Canin, com o objetivo de fazer uma radiografia dos primeiros momentos dos tutores com os seus animais de estimação.

Intitulado “Primeiros momentos com os animais de estimação”, o inquérito, realizado em abril deste ano, mostra que o principal motivo para a adoção de um animal, no caso dos residentes no distrito portuense (59,5%), é o “amor e o carinho” que nutrem por estes.

É público que a chegada de um animal de estimação pressupõe, naturalmente, momentos de adaptação, obrigando, muitas vezes, a algumas mudanças. E, de acordo com o estudo, para uma parte significativa dos inquiridos, 30%, essas mudanças foram positivas, passando “a fazer mais atividades ao ar livre”.

Por sua vez, 36% revelou que “dedica em exclusivo três ou mais horas por dia ao seu gato ou cão”, o que revela um momento de pura cumplicidade e companheirismo. Um mimo que cresceu substancialmente, para 28,2% dos residentes no distrito do Porto, por influência da pandemia.

Contudo, como realça a marca, adotar ou comprar um animal de estimação não é uma decisão que deva ser tomada de ânimo leve. Antes de assumirem este compromisso, os cidadãos devem ter em conta inúmeros fatores e é isso que, segundo o estudo, a maior parte dos inquiridos fez. “O principal dilema que os tutores residentes no distrito do Porto encontram diz respeito ao espaço na casa ou à adaptação deste às necessidades do animal e a falta de tempo para as caminhadas e educação, ambos os fatores com 21,4%”, sublinha.

Relativamente à chegada do animal de estimação à família, e, apesar de mais de metade (50,4%) dos tutores acreditar que não cometeu qualquer erro, “24,4% dos inquiridos considera que podia melhorar a educação do seu animal de estimação”.

Se, por ventura, ainda não tem nenhum animal de estimação e pensa acolher um, saiba todos os cuidados que, de acordo com a Royal Canin, deve ter em conta no momento da adoção e posteriormente:

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Pondere cuidadosamente – O compromisso de ter um animal de estimação só deve ser assumido após uma análise rigorosa e honesta, uma vez que esta é uma responsabilidade que vai acompanhar toda a vida do animal. Contudo, os benefícios de ter um animal de companhia superam largamente os inconvenientes.

Procure o médico veterinário – É essencial marcar uma consulta para o seu novo animal de estimação ser visto por um profissional logo depois de chegar à nova casa. Tente que a experiência seja o mais positiva possível para o seu animal de estimação.

Torne a casa segura – As primeiras experiências no novo lar terão impacto nos gatos e cães ao longo da sua vida. Defina espaços para refeição e descanso. Os animais são

curiosos e adoram explorar, por isso, é importante garantir que a sua casa é segura antes de ir buscar o seu novo animal de estimação.

Apresente-o à família – Dê tempo ao seu animal para conhecer cada um dos membros da família. As experiências positivas ajudá-lo-ão quando ele encontrar pessoas novas fora de casa. Os animais de estimação podem ser muito territoriais, por isso, é importante que apresente o seu novo animal de estimação aos outros que já tiver de uma forma atenta e controlada.

Escolha o alimento adequado – Os gatinhos/cachorros têm aparelhos digestivos muito delicados e requerem uma dieta específica e adaptada. Escolher o alimento adequado é crucial para o seu desenvolvimento e crescimento saudável. Em cada etapa vão necessitar de nutrientes específicos, em quantidades precisas.

Promova o exercício e socialização – Todos os animais precisam de exercício, mas a quantidade e o tipo variam de acordo com a idade, o porte e a raça. Certifique-se de que dedica tempo suficiente para a prática de exercício com o seu animal. A socialização deve, também, começar o mais cedo possível, de modo a evitar comportamentos indesejados e ajudá-los a transformarem-se em animais confiantes e equilibrados

PUBLICIDADE

PUB
Prémio Literatura Infantil Pingo Doce