PUB
Recheio 2024 Institucional

Afinal, o restaurante mais antigo do mundo não é assim tão longe do Porto

Afinal, o restaurante mais antigo do mundo não é assim tão longe do Porto

Se há coisa que o ser humano gosta, é de comer. Então no Porto? Isso nem se fala. Todos conhecemos os pratos incríveis que a cidade Invicta tem para nos oferecer, sejam francesinhas, tripas à moda do Porto, ou muitas outras variedades, que por mais diferentes que sejam, têm sempre em comum o facto de o deixar satisfeito e com vontade de repetir. 

No entanto, para valorizarmos a nossa comida, às vezes é interessante experimentar a dos outros. Dessa forma, é sempre engraçado recuar no tempo e ir à origem das coisas, não só no Porto, mas também no mundo, neste caso. Afinal de contas, é isso que é tão fascinante na história. 

Assim sendo, e por falar em comida, como é que imaginaria o restaurante mais antigo do mundo? Para conseguir responder a essa pergunta, é preciso recuar um bocadinho no tempo. Um bocadinho, como quem diz, alguns séculos. 

Corria o ano de 1725 em terras de nuestros hermanos, mais concretamente na capital de Espanha, Madrid, quando surgiu o restaurante Botin, detentor do recorde mundial do Guinness, para restaurante mais antigo do mundo, com quase 300 anos de história.

Foto: Vivencie Trip

Inicialmente, o espaço foi aberto por Jean Botin, numa lógica de taberna. No entanto, atenção, até porque é aqui que a história fica interessante: as condições de abertura eram muito específicas, porque na altura era ilegal que donos de tabernas vendessem comida.

Assim sendo, pode achar que é mentira, mas acredite no que está prestes a ler, até porque é mesmo verdade! Na época, os clientes, em vez de comer receitas do cardápio do restaurante, traziam a sua própria comida e bebida, para que ela fosse confecionada à moda do local. 

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Os anos passaram, mas o legado de Botin permaneceu por intermédio do sobrinho, não fosse o restaurante conhecido por Sobrino de Botin. Tendo Jean Botin morrido sem ter tido filhos, cedeu o espaço ao sobrinho, sendo que este foi gerido pela família desde a sua fundação até ao século XX. Desde então, o restaurante é do domínio da família Gonzalez, até aos dias de hoje.

Ainda que as gerências possam ir mudando, a magia do restaurante relaciona-se também com o facto de se continuar a sentir, de forma bem viva, a presença de história, mal se entra pela porta 17 da Calle Cuchilleros, ainda que o espaço se tenha conseguido adaptar às exigências dos tempos modernos.

Quem entra no espaço e se atreve a provar as ofertas do menu, percebe logo o porquê de tantos anos de sucesso, na medida em que a comida é, como se diz na gíria, “de comer e chorar por mais”. Destaca-se, por exemplo, o cochinillo (leitão assado), as croquetas de jamón (croquetes de presunto) e o gazpacho (sopa fria de tomate).

Foto: Fred Tour

Para além do principal, a comida, também o próprio edifício carrega consigo uma história incrível que faz com que o Botin seja, de acordo com o seu gerente, um restaurante museu, composto por 4 andares, que tem, também, um fogão a lenha original e uma adega ainda mais antiga que o restaurante.

Assim sendo, fica a curiosidade: o restaurante mais antigo do mundo fica em Madrid, a cerca de 1h15 de avião do Porto. Se ainda não tiver destino de férias reservado e sempre teve o sonho de conhecer a capital espanhola, pode ter no Botin um pretexto para testemunhar história.

Fotografia destaque: Hurb

PUBLICIDADE

PUB
PD-Bairro Feliz