PUB
CIN - Branco Perfeito

#3 Escapadinhas à Galiza: descubra a rota das “Camélias a dormir em… Pousadas”

#3 Escapadinhas à Galiza: descubra a rota das “Camélias a dormir em… Pousadas”

Às vezes, não é necessário afastarmo-nos muito para fazer descobertas bonitas. A Galiza, que está bem próxima de nós, é um ótimo exemplo disso, oferecendo uma grande variedade de opções para uma escapadela de fim de semana diferente do habitual.

Nesta terceira edição da “Escapadinha à Galiza” da VIVA, vamos guiá-lo por itinerários dentro da rota “Camélias a dormir em… Pousadas”, promovida pela Junta da Galiza. Então, sem mais delongas, vamos começar este passeio!

1ª Dia

Iniciando esta jornada de descoberta em Santiago de Compostela, a recomendação da Junta da Galiza é chegar à tarde para aproveitar um tranquilo passeio pelo seu monumental centro histórico, reconhecido como Património da Humanidade desde 1985. 

A cidade oferece uma grande variedade de opções de alojamento para os viajantes. No entanto, um destaque indiscutível é a Hospedaria dos Reis Católicos, que além de ser um antigo hospital de peregrinos, é uma Pousada desde 1954.

Localizada na imponente Praça do Obradoiro, ao lado da catedral, a Hospedaria dos Reis Católicos é uma verdadeira obra-prima arquitetônica que inspira admiração aos visitantes. Ao observar a sua porta, ricamente ornamentada em estilo plateresco, é possível identificar os medalhões dos Reis Católicos, Isabel e Fernando, as figuras de Adão e Eva, além dos doze apóstolos alinhados no friso. 

E acima deles, estão representadas a Virgem Maria, Jesus, São João Evangelista e o Apóstolo Santiago com a concha e o bastão do peregrino. Ao levantar os olhos, destaca-se a cornija decorada com umas grotescas e obscenas gárgulas.

Uma experiência imperdível é explorar o interior deste magnífico edifício, que pode ser feito com a orientação de um guia turístico. Durante esta visita, é possível percorrer os seus quatro pátios interiores e apreciar uma bela capela ogival, declarada Monumento Histórico-Artístico em 1912.

A catedral de Santiago de Compostela é outro destaque da cidade, impressionando os visitantes com a sua impressionante coleção de tesouros artísticos, como o Pórtico da Glória, uma obra-prima do Românico. 

Após explorar a catedral, sugerimos dedicar o resto da tarde a se perder pelas encantadoras ruas de paralelepípedos da zona histórica. Neste labirinto pitoresco, você se encontrará entre peregrinos, universitários, turistas e moradores locais, mergulhando na autenticidade desta cidade única. 

Não deixe de visitar os diversos monumentos, igrejas, museus e salas de exposições que encontrará pelo caminho.

Quando chegar a hora de saborear uma refeição ou tomar uma bebida, encontrarás uma ampla variedade de estabelecimentos para todos os gostos. Desde restaurantes típicos até bares e vinotecas, o panorama gastronómico de Santiago é diversificado e vibrante. Uma tradição local é desfrutar de petiscos nas pitorescas Rua do Franco e d’A Raíña.

2º Dia

Além do seu rico património cultural, Santiago de Compostela é abençoado com uma paisagem verdejante. Os jardins históricos da cidade são verdadeiros tesouros, sendo a Alameda um dos locais favoritos dos habitantes locais para passeios e lazer. Dividida em quatro áreas distintas, como o Campo da Estrela e o Carvalhal de Santa Susana, a Alameda oferece uma atmosfera encantadora com os seus canteiros, esculturas, fontes e igrejas. 

As tílias prateadas que recebem os visitantes ao entrar pelo Porta Faxeira do Campo da Estrela são apenas o começo de uma jornada encantadora. Como refere a Junta da Galiza, à medida que se aventuram sob a copa das árvores no Passeio da Ferradura, os visitantes deparam-se com algumas das 66 camélias japonesas que adornam a área há mais de um século, proporcionando uma vista deslumbrante da catedral e da zona monumental.

Não muito longe dali, na esquina, encontra-se o majestoso Eucaliptus globulus, que o convida a descansar um bocadinho, enquanto aprecia o frescor do seu aroma e contempla a magnificência da fachada do Obradoiro da catedral.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

O carvalhal de Santa Susana é uma verdadeira relíquia, com exemplares que ultrapassam os trezentos anos de idade. Enquanto caminham por entre as árvores, os visitantes podem avistar a “Perona”, uma árvore da espécie Abies nordmanniana plantada em 1947 para celebrar a visita de Eva Perón à cidade. Subindo ao redor do monte de Santa Susana, encontra-se um imponente carvalhal, com árvores centenárias que contam histórias de séculos passados.

O Paço de São Lourenço é outra atração digna de visita, onde se conservam exemplares de camélias do século XIX. Ao sair da Alameda, os visitantes rapidamente se deparam com o Carvalhal de São Lourenço, atravessando a Avenida das Burgas. Se observarem com atenção, podem até avistar esquilos entre os troncos das árvores.

Uma das características mais impressionantes deste lugar é uma grande sebe de buxo talhado, com mais de quatro séculos de idade, que representa um dos exemplos mais significativos da arte da jardinagem geométrica espanhola.

De acordo com a mesma fonte de informação, nos jardins e bosques do Paço de São Lourenço, protegidos por altas muralhas de pedra, os visitantes têm a oportunidade de contemplar mais de cem espécies vegetais, incluindo camélias cujos exemplares mais antigos remontam ao século XIX. 

Destaca-se no jardim claustral uma grande sebe de buxo talhado, que constitui uma das peças mais relevantes da jardinagem geométrica espanhola, tanto pelo seu tamanho quanto pela sua história de quatro séculos.

À medida que a manhã se desenrola entre os jardins, sugerimos regressar à zona histórica através das ruas de San Lorenzo, Poza de Bar e Hortas. Esta última, uma longa subida empedrada até à Praça do Obradoiro, está cercada por estabelecimentos que oferecem uma grande variedade de opções gastronómicas, desde menus acessíveis até à vanguarda da culinária galega.

À tarde, os visitantes têm a oportunidade de explorar ainda mais os encantos naturais e culturais dos arredores de Santiago de Compostela. A apenas uma curta distância da cidade, ao longo da N-525 na direção de Ourense, encontramos vários destinos fascinantes que valem a pena explorar.

Um desses destinos é o município vizinho de Vedra, onde se encontra o desvio para o Paço de Ortigueira, também conhecido como Paço de Santa Cruz de Ribadulla. Este lugar, que foi residência temporária do político e escritor Jovellanos, abriga jardins de tirar o fôlego. 

Considerados por muitos especialistas como o espaço botânico ornamental mais fascinante da Galiza, os jardins de Ribadulla são um verdadeiro paraíso para os amantes da natureza. Entre as inúmeras variedades de camélias japonesas que formam belos passeios, destaca-se o chamado Caminho das Noivas. 

Além das camélias, é possível encontrar exemplares gigantes de magnólias e desfrutar de espaços encantadores como a Fonte da Coca ou da Cascata, além do evocativo Caminho das Oliveiras, que nos transporta para paisagens de sonho.

Após esta experiência, sugerimos seguir em direção a Ourense pela N-525 para visitar o majestoso Paço de Oca, muitas vezes apelidado de “Versalhes galego” devido à beleza dos seus jardins. Ao entrar na estrada, encontramos um desvio à direita que nos leva a este lugar, que fica no município de A Estrada.

Ao chegar, somos recebidos por uma grande praça exterior, presidida pela imponente fachada do paço, que remonta ao século XVIII e apresenta uma torre medieval. Os jardins do Paço de Oca são um verdadeiro deleite para os sentidos. Rodeados por altas muralhas de pedra, estes jardins históricos recriam uma variedade de ambientes, desde o jardim francês com o seu labirinto de buxo até áreas paisagísticas que inspiram magia e mistério.

No jardim hortícola, os visitantes podem admirar os cultivos de flores e os vinhedos, enquanto o grande tanque central, atravessado por uma ponte de arcos, adiciona uma atmosfera de serenidade ao local. Uma caminhada ao longo da grande avenida de tílias transporta-nos para cenários dignos de um romance de época.

Não deixe de reservar um tempo para explorar cada detalhe deste oásis de natureza, água e pedra, onde inúmeros elementos irão despertar a sua curiosidade, entre os quais a Fonte da Mona e a Fonte da Truta.

Antes de regressar a Santiago, sugerimos uma parada em Vedra para desfrutar da rica gastronomia local. O município é conhecido pelas suas festas da orella (orelha de porco) e pela produção de vinhos e aguardentes do Ulla, que certamente serão uma experiência gastronómica memorável.

Com uma variedade tão vasta de atrações naturais, culturais e gastronómicas, esta “Escapadinha à Galiza” promete deixá-lo com vontade de voltar.

PUBLICIDADE

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/uma-pascoa-saborosa-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=0324-sabebem78&utm_campaign=sabebem