CIN - Branco Perfeito

Volta a Portugal: FC Porto conquista o “penta”

Volta a Portugal: FC Porto conquista o “penta”

A W52-FC Porto venceu, pelo quinto ano consecutivo, a Volta a Portugal Portugal – Edição Especial em bicicleta. O ciclista português Amaro Antunes venceu a prova, após o contrarrelógio de 17,7 quilómetros em Lisboa, ganho pelo espanhol Gustavo Veloso, também da W52-FC Porto. 

Esta foi a primeira vez que o ciclista venceu a prova, com 42 segundos de avanço sobre Veloso, que subiu ao segundo lugar, e 52 sobre o português Frederico Figueiredo (Atum General-Tavira). 

No final, Amaro Antunes afirmou, em entrevista ao FC Porto, que “foram dias de muita tensão” e que, finalmente, já podia “respirar de alívio”. “Eu sentia-me bastante confiante pelo grupo que tinha em meu redor, não há palavras para os meus colegas, foram incansáveis, deram tudo por mim. Quando parti para o contrarrelógio, só pensava que tinha de ganhar para retribuir todo o esforço que fizeram por mim”, assinalou. 

Manifestando-se “bastante feliz” e “realizado”, o atleta da W52-FC Porto garantiu que tem vindo “a fazer um percurso bastante bonito”, que “talvez tenha faltado um pouco de sorte em alguns momentos mas, felizmente, quando praticamos o bem ele mais tarde ou mais cedo chega. Hoje sinto-me realizado”. “Quero agradecer a este grupo, ao Nuno Ribeiro e a toda a minha equipa, sem exceção, por tudo o que fizeram por mim. O mais importante foi o que nos propusemos como equipa, que era vencer a Volta a Portugal”, completou. 

O mesmo espírito de equipa enalteceu Gustavo Veloso. “É um resultado muito importante para todos. E é a melhor maneira de dignificar os patrocinadores que, numa época tão difícil como esta, continuaram a dar-nos o seu apoio. É um grande resultado, estou muito satisfeito. Ganhar só ganha um, o mais importante é continuar a lutar e isso nós conseguimos fazer, tanto a nível individual como a nível coletivo”, afirmou, garantindo que vai correr mais um ano. “Quero estar perto dos adeptos que, anos após ano, vão para a estrada para nos apoiar. Este ano não puderam estar, a subida à Senhora da Graça foi diferente e eu quero despedir-me num ciclismo de verdade, não neste ciclismo diferente”. 

De acordo com Nuno Ribeiro, diretor desportivo da W52-FC Porto, “o segredo para este triunfo foi o espírito de equipa entre todos”. “Também o suporte que temos dos patrocinadores, principalmente da W52 e do FC Porto. O mais importante é o espírito de grupo. O Amaro Antunes foi uma contratação deste ano, foi uma aposta que teve a oportunidade dele, na etapa da Senhora da Graça, e penso que tenha sido por isso. Ele é um atleta da equipa e eu dou o meu melhor em prol dele. É um dos três ciclistas que nós tínhamos que podia estar na discussão da Volta. Tinha perdido algum tempo no prólogo, mas depois engatou na etapa da Senhora da Graça e conseguiu vestir a camisola amarela. Manteve-a na etapa da Torre e agora, no contrarrelógio, mostrou que está num bom nível e está de parabéns pelo que conseguiu. Todas as vitórias são difíceis, esta foi uma vitória num ano atípico, uma vitória especial. Só tínhamos tido dois dias de corrida até à Volta a Portugal, não sabíamos como estavam os adversários”, sublinhou. 

Por sua vez, o presidente do clube, Nuno Pinto da Costa, admitiu que embora tivessem “grandes expectativas”, nunca imaginaram “ganhar a Volta a Portugal cinco anos seguidos”. “Foi preciso muita dedicação, muito trabalho e muita inteligência para chegar ao final e vencer a prova de forma tão brilhante. Quando todos pensam na equipa, conseguem-se grandes vitórias como esta”, destacou.

Foto: FC Porto

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/sabe-bem-poupar-todos-os-dias/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=27012023-edicao71utm_campaign=sabebem