PUB
Recheio 2024 Institucional

Veja aqui as imagens do projeto a ser construído no Aleixo

Veja aqui as imagens do projeto a ser construído no Aleixo

O futuro do Aleixo começa a tomar forma com a apresentação da nova Unidade Operativa de Planeamento e Gestão (UOPG). Apresentada na reunião do Executivo da Câmara do Porto, esta UOPG prevê a criação de 500 novas habitações acessíveis em 12 lotes, em terrenos pertencentes à autarquia, para além de um extenso parque verde com um corredor pedonal que fará ligação entre o Campo Alegre e o rio Douro.

De acordo com o Plano Diretor Municipal (PDM), este território precisa de ser estruturado principalmente para habitação. Assim, foi necessário um planeamento comum entre os proprietários das três parcelas, incluindo o Município do Porto. O estudo urbanístico apresentado destaca uma área de quase 80 mil m² para edificação, com 26.600 m² destinados a habitação acessível, que se irão materializar em cerca de 140 a 150 novos fogos, conforme detalhou Pedro Baganha, vereador do Urbanismo.

O Município também prevê entregar três dos cinco lotes ao Invesurb, conforme um contrato existente com este fundo imobiliário. A parcela privada a norte, com 1.680 m², e a parcela a sul, anteriormente pertencente à EDP, apresentam desafios específicos. O terreno a sul precisa de garantir 41.500 m² de construção, conforme um acordo antigo entre a EDP e a Câmara, apesar de estar localizado numa zona de risco de inundação, que limita a área edificável.

Para resolver estas questões, a solução urbanística proposta concentra a construção em altura, libertando mais espaço para áreas verdes e permeáveis. Este planeamento não só responde às necessidades de mitigação de cheias rápidas, como também proporciona um parque público que segue a linha de água do vale, com percursos pedonais que ligam o Campo Alegre à margem fluvial.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

A proposta inclui também uma nova ligação viária entre as ruas das Condominhas e do Aleixo. Em termos de investimento, o projeto exigirá mais de 8,6 milhões de euros, com 3,8 milhões de euros provenientes dos cofres municipais.

Após aprovação da delimitação com abstenções da CDU e do PS, a proposta segue agora para consulta pública, marcando um passo importante na transformação do Aleixo num espaço de habitação acessível e sustentável.

Fotografia: Imagens cedidas pela Câmara Municipal do Porto

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
PD- Literarura Infantil