CIN - VinylMatt

Recuperação do rio Leça junta autarcas

Recuperação do rio Leça junta autarcas

Responsáveis dos quatro municípios por onde passa o rio Leça – Matosinhos, Maia, Valongo e Santo Tirso – visitaram a intervenção em curso relativa à construção do Corredor Verde do Leça.

Com uma extensão de 45 quilómetros, o rio Leça nasce em Santo Tirso, desagua em Matosinhos e durante décadas foi considerado um dos rios mais poluídos da Europa. Mas, desde 2016, um grupo de grupo de trabalho, constituído por elementos dos municípios de Matosinhos, Maia, Valongo e Santo Tirso, tem vindo a trabalhar na consolidação, estratégia e definição de um plano para o corredor do Leça.

A constituição da Associação de Municípios do Leça está em curso. A seu cargo ficará a execução do Plano de Implementação do Programa Estratégico de Recuperação do Rio Leça 2020/2030, com um orçamento total previsto de 28 milhões de euros e com recurso a financiamento comunitário.

Este foi um dos temas da reunião de trabalho, realizada quarta-feira no Centro Empresarial da Lionesa, em Leça do Balio, e que contou com a participação dos autarcas de Matosinhos, Luísa Salgueiro, de Valongo, José Manuel Ribeiro, e de Santo Tirso, Alberto Costa, os vereadores do Ambiente de Matosinhos, António Correia Pinto, e da Maia, Marta Peneda, a vice-presidente da Câmara de Santo Tirso e vereadora do Ambiente, Ana Maria Ferreira, e o presidente da União das freguesias de Custóias, Leça do Balio e Guifões.

Antes da reunião, os responsáveis visitaram a intervenção, integrada no projeto do Corredor Verde do Leça, a decorrer no troço entre Ponte de Moreira e Ponte da Pedra, com ligação de Picoutos, num percurso de 6,9 quilómetros.

Esta é a primeira de três intervenções previstas, “sendo apenas o primeiro passo para a completa despoluição do curso fluvial e para a valorização paisagística das margens do rio, transformando-as numa área de lazer e devolvendo-as à fruição da população”, refere a Câmara da Matosinhos. No total, serão intervencionados 18 kms.

Desta primeira intervenção nascerão novas pontes pedonais, passadiços e 7 kms de ciclovia. Entre muitos outros objetivos, esta fase da obra vai permitir melhorar a visibilidade do rio Leça e dos seus focos de poluição, promovendo um maior contacto com a natureza e novas oportunidades de mobilidade ao longo do rio.

Foto: CM Matosinhos

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=carne&utm_campaign=sabordomes