CMPorto

Projeto do Porto para integrar sem-abrigo vai abranger 60 pessoas

Projeto do Porto para integrar sem-abrigo vai abranger 60 pessoas

O programa “Porto Sentido – Habitação, Capacitação, Reinserção”, aprovado pela Câmara Municipal do Porto em junho passado, acompanha, atualmente, um grupo de 30 pessoas, mas o objetivo é duplicar o número para 60. 

A informação foi revelada pelo município, no seu portal de notícias, numa nota onde sublinha que o programa, que vai abranger um total de 60 pessoas, acompanha neste momento o primeiro grupo de 30 pessoas, a quem foi disponibilizado alojamento, de modo a incentivar a sua autonomia no processo de transição plena para a vida ativa. 

Sob o mote “Dar a cana e ensinar a pescar”, o projeto tem como objetivo principal a “reintegração social e profissional de pessoas em situação de sem-abrigo”.  

O município assume o papel de investidor social, financiando o projeto, celebrado em parceria com os Serviços de Assistência Organizações de Maria (SAOM), no valor de 200 mil euros. 

A decorrer desde meados de 2020, o “Porto Sentido – Habitação, Capacitação, Reinserção”, além de garantir o alojamento em residências disponibilizadas pela autarquia, pela Santa Casa da Misericórdia do Porto e em apartamentos especificamente arrendados para este fim, encarrega-se de acompanhar cada um dos 30 participantes integrados nesta primeira fase do programa. 

Um acompanhamento que, explica a Câmara Municipal, é assegurado por uma equipa de sete técnicos facilitadores, e que pressupõe a “inscrição em ações de formação e capacitação, acompanhamento psicossocial, e a realização de um plano individual de saúde, monitorizado por uma psicóloga e um enfermeiro da Escola Superior Saúde Santa Maria”. 

“Os beneficiários foram selecionados de acordo com o seu grau de motivação e de predisposição para uma mudança de vida, considerando que o objetivo do programa é conseguir que abandonem definitivamente a condição de sem-abrigo ou sem-teto, e no processo, adquiram ferramentas que permitam a sua autonomização profissional e financeira”, 

Segundo avança o município, o “Porto Sentido” estabeleceu um cronograma de ano e meio para o acompanhamento de cada grupo, considerado “suficiente” para alcançar os objetivos propostos. 

Após a conclusão da primeira fase do projeto, dar-se-á início à segunda fase, com a inclusão de mais 30 pessoas no programa, sendo que o objetivo é que, até ao final de 2022, o programa possa “contribuir para mudar a vida de 60 pessoas”. 

A autarquia revela ainda que, atualmente, há beneficiários que estão no mercado do trabalho e que para os que ainda não conseguiram, o projeto garante uma “Bolsa de Formação”, à qual as empresas podem recorrer, decidindo contratar, a título experimental, utentes que se enquadrem nos postos de trabalho com vagas em aberto, com a garantia de que a equipa especializada alocada ao projeto prestará o devido acompanhamento dos utentes. 

O “Porto Sentido – Habitação, Capacitação, Reinserção” resulta de uma candidatura em consórcio ao instrumento “Parcerias para o Impacto”, cofinanciado pelo Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE), do Portugal 2020, através do Fundo Social Europeu. 

Além do município, fazem parte do consórcio os Serviços de Assistência Organizações de Maria (S.A.O.M.), a Santa Casa da Misericórdia do Porto e a Província Portuguesa das Franciscanas Missionárias de Nossa Senhora.  

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/diga-ola-ao-verao-com-a-sabe-bem/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=sabebem&utm_campaign=sabebem