CMPorto

Projeto para heliporto no Hospital de São João aprovado pelo Governo

Projeto para heliporto no Hospital de São João aprovado pelo Governo

A candidatura para o financiamento da criação de um heliporto no Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ), no Porto, foi aprovada pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-Norte), revelou o primeiro-ministro António Costa, no passado sábado.

“Ainda esta semana a CCDR-N aprovou a candidatura para o financiamento de uma obra muito importante para este hospital e para toda a região norte que é a viabilização do heliporto que vai servir mais do que a população do Porto, toda a região”, revelou António Costa, na inauguração da nova ala pediátrica do hospital.

Englobado no Plano de Atividades e Orçamento do Centro Hospitalar de S. João, o investimento irá permitir “assegurar o acesso urgente de todos os doentes da região” ao Hospital de São João e garantir cuidados diferenciados.

Os municípios do Porto, Maia e Valongo, assumiram, em julho, o apoio para a construção do heliporto, no entanto os mesmos insistiram junto do Governo a resolução urgente para a questão.

Rui Moreira, sobre o pedido ao Governo, refere que “o Hospital de S. João tem uma especial preponderância nestes três municípios e temos de persuadir o Governo, dentro dos fundos estruturais europeus existentes para a região, a financiar a obra. As nossas câmaras, se for caso disso, estão disponíveis para repartir entre si a percentagem da componente nacional”. E ainda frisou  que, “em comparação com os hospitais centrais de Lisboa e Coimbra, o S. João é o único que tem esta carência [do heliporto]”, e considerou “ilógico” que, num caso de urgência, os doentes sejam transportados para o heliporto do Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, e depois reencaminhados de ambulância para o S. João.

“É um projeto emblemático não só para o hospital, como para a região. Esta é a unidade de referência para doentes críticos de todo o Norte, nomeadamente na vertente pediátrica e nos doentes queimados, mas temos problemas no acesso quando são doentes que precisam cuidados urgentes”, explicou à época Fernando Araújo, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de São João.

“Torna-se mais difícil e demorado. Há doentes em que o tempo é um fator limitativo no ponto de vista de recuperação. Este heliporto dará uma maior segurança e maior capacidade de intervenção na rede hospitalar”, completou Fernando Araújo.

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/diga-ola-ao-verao-com-a-sabe-bem/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=sabebem&utm_campaign=sabebem