PUB
Recheio 2024 Institucional

Projeto “Exige o Futuro” dá voz a periferias

Projeto

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
O projeto “Exige o Futuro” juntou a companhia Visões Úteis a parceiros da Suécia, Letónia, França e Escócia para “dar voz a periferias” e, de 13 a 15 de julho, levam até Campanhã um programa de atividades que inclui conferências, teatro e até uma “Parada Desatada”.

“Reclaim the Future” (“Exige o Futuro”) dá voz a diferentes periferias europeias, sublinhando o seu papel e importância na construção de um futuro partilhado, descobrindo pontos de contacto entre comunidades geograficamente distantes. Segundo a companhia portuense que representa Portugal – a Visões Úteis – , o projeto tem a duração de dois anos e terminará em 2018 com um evento em Bruxelas, construído coletivamente e integrando elementos e contributos das comunidades locais dos diferentes países.
O evento português acontece a 13, 14 e 15 de julho e “é inspirado pelo desejo de dar visibilidade pública ao trabalho de agentes, entidades, coletivos e associações de Campanhã – com quem o Visões Úteis levou a cabo sessões de trabalho ao longo dos últimos meses. Pretende-se ainda promover o encontro destes grupos entre si e com artistas e coletivos internacionais que desenvolvem atividades afins”, refere a companhia de teatro, em comunicado.
São três dias de atividades com acesso gratuito, durante os quais a criação artística, a investigação, o encontro e a participação comunitária encontram um espaço privilegiado.
O programa da iniciativa que Campanhã vai receber nos dias 13, 14 e 15 de julho inclui uma tertúlia “Da mesma laia – conversas e embaraços sobre arte e comunidade”, às 10h30 de 13 de julho, no MIRA Fórum, e às 15h na Associação Recreativa os Malmequeres de Noêda, e uma “Parada Desatada” (no dia 15, 17h), que espera cerca de 250 participantes (música, teatro, dança, intervenções no espaço) e que o diretor artístico do projeto Visões Úteis descreveu como “uma caminhada do passado ao futuro”. O desfile partirá do terreno outrora ocupado pelo bairro de S. Vicente de Paulo, até ao antigo Matadouro Municipal do Porto.
No dia 14 de julho, os artistas internacionais dos países parceiros que viajam para o evento vão encontrar-se com figuras das artes portuenses, em vários locais de Campanhã, entre as 10h e as 15h, ao que Carlos Costa diz ser uma espécie de “visita de estudo dos europeus a Campanhã”.
A francesa Compagnie des Mers du Nord vai, por exemplo, encontrar-se com o grupo “Era uma Vez… Teatro” da APPC – Associação do Porto de Paralisia Cerebral, e a companhia Rural Nations, da Escócia, vai conversar com o realizador portuense Pedro Neves, em tertúlias abertas ao público.
Também no dia 14, e no MIRA Fórum, o Visões Úteis e o parceiro sueco Teatermaskinen colaboram na troca e reconstrução de espetáculos: a criação “trans/missão” (2015) foi adaptada pelo Teatermaskinen e apresentada publicamente na Suécia em junho, e a criação “C’est Tout” do coletivo sueco é adaptada pelo Visões Úteis. Os dois espetáculos serão mostrados ao público pelas 21h30.
“Exige o Futuro” é cofinanciado pelo programa Europa Criativa da União Europeia e o evento português é desenvolvido em coprodução com a Câmara Municipal do Porto, integrando o Programa Cultura em Expansão 2017, em parceria com o MIRA Fórum, e com os apoios da Junta de Freguesia de Campanhã e do Instituto do Emprego e Formação Profissional.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
Pingo Doce- Revista Sabe Bem