Sogrape

Portugal eleito o melhor país do mundo para trabalhar em viagem

Portugal eleito o melhor país do mundo para trabalhar em viagem

Nos últimos dois anos, o trabalho remoto tornou-se uma realidade para a grande maioria dos trabalhadores portugueses, que terminam esta sexta-feira, inclusive, a obrigatoriedade deste regime, para as funções que assim o possibilitam, devido ao conjunto de medidas impostas pelo Governo para combater a disseminação da pandemia.

Este é, aliás, um regime que tem agradado, visivelmente, grande parte dos cidadãos, que se mostram bastante satisfeitos com a possibilidade de poderem trabalhar a partir de casa ou de qualquer outro espaço. Nesse sentido, Portugal ocupa o primeiro lugar na lista de melhores países do mundo para viajar e trabalhar remotamente, de acordo com um “Índice de trabalho em viagem”, realizado pela Momondo.

Para a elaboração do estudo em causa, o motor de pesquisa de viagens analisou 111 países e classificou-os, com base em 22 fatores, em seis categorias distintas – custo de viagens e acessibilidade, preços locais, saúde e segurança, condições de trabalho remoto, vida social e clima.

Assim, concluiu que Portugal é o país onde “é mais fácil” conjugar o trabalho remoto com o lazer nas horas livres, obtendo “pontuações altas em todas as categorias”. Aqui, inclui-se “o clima, a vida social, a baixa taxa de criminalidade e o custo de vida relativamente acessível. Portugal também tem um visto para nómadas digitais, e muitos habitantes têm um nível de inglês elevado, o que é um ponto forte para expatriados”, lê-se na nota divulgada.

Depois de Portugal, o melhor país do mundo para realizar trabalho remoto é, de acordo com a Momondo, a vizinha Espanha, seguindo-se a Roménia e a ilha Maurícia. Em quarto, quinto e sexto lugares encontram-se, respetivamente, Malta, Costa Rica e Panamá.

Por sua vez, a República Checa e a Alemanha foram eleitos os países menos interessados para viajar e, simultaneamente, realizar trabalho remoto.

Além do “Índice de trabalho em viagem”, o motor de pesquisa de viagens criou, ainda, um mapa de fuso horários com o intuito de “ajudar utilizadores a perceber rapidamente a diferença horária entre o local do emprego e o país de destino — ideal para quem quer evitar videochamadas às duas da manhã por trabalhar no estrangeiro”.

Esta classificação teve em conta os fatores e categorias-chave do “Índice de trabalho em viagem”, mas apresenta-os de acordo com o país de origem dos utilizadores, para que países com o fuso horário mais próximo apareçam mais acima na lista de destinos.

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=092022-carnepicadaangus&utm_campaign=sabordomes