PUB
Junta da Galiza

Porto vai ter mais bebedouros públicos em 2020 e projetos para racionalizar o uso da água

Porto vai ter mais bebedouros públicos em 2020 e projetos para racionalizar o uso da água

A Câmara Municipal do Porto revelou esta quinta-feira que a empresa municipal Águas do Porto tem preparado para o próximo ano um “plano de investimentos significativo, priorizando a importância da gestão do ciclo urbano da água em todas as suas vertentes e a qualidade e eficiência das várias atividades que diariamente estabelece na cidade”.

Na nota divulgada, no seu portal de notícias, a autarquia informa que até ao final do primeiro trimestre de 2020, vai instalar 20 novos bebedouros, por toda a cidade.  Uma medida que, recorda, “já iniciou na época balnear de 2019” e vai agora “avançar com a instalação de novos equipamentos na zona histórica e na marginal ribeirinha oriental”, dando sequência a uma política de reabilitação de fontes e fontanários públicos e instalação de bebedouros em circuitos pedonais e clicáveis da cidade.

Procurando antecipar as exigências e expectativas dos clientes, como se lê no comunicado divulgado, a Águas do Porto vai dar continuidade ao trabalho de redução da água não-faturada, com o projeto “Setorização Mais”, que arrancou este ano e consiste na “cobertura integral do Sistema de Abastecimento de Água em termos de Zonas de Medição e Controlo (ZMC) fiáveis, com a criação de 40 novas ZMC”.

O projeto envolve a construção de 35 novas câmaras de manobras e a instalação de equipamentos de monitorização e controlo em tempo real do escoamento assim como a criação de cerca de 90 novos pontos de monitorização e controlo da pressão do escoamento no interior dessas novas zonas.

Importante referir que o investimento associado à implementação do projeto “Setorização Mais” foi integrado numa candidatura da Águas do Porto a fundos comunitários do Programa Operacional para a Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR), cuja aprovação garante a comparticipação em 40%.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Noutras vertentes, a Câmara do Porto adianta que a empresa prevê concluir, até ao final do primeiro semestre de 2020, o projeto de revisão do “Plano de Segurança da Água” e o “Porto Saneamento 100%”, considerado uma das prioridades de 2019 da Águas do Porto”, e dar início à elaboração dos “Planos Diretores de Abastecimento de Água e de Saneamento”.

No domínio da gestão das águas residuais, o comunicado adianta que o destaque vai para o estudo de “Avaliação de Desempenho e Proposta de Melhoria das Instalações de Tratamento de Águas Residuais de Sobreiras e Freixo”, que a Águas do Porto prevê concluído no início do próximo ano.

Já na componente das águas pluviais e ribeiras da cidade, o destaque vai para a obra do Parque Central da Asprela, que se desenrolará durante 2020. Promovido em parceria com a Câmara do Porto, a Universidade do Porto e o Instituto Politécnico do Porto, o projeto “conjuga uma perspetiva de proteção dos recursos, controlo de cheias e inundações e prevenção de riscos ambientais, através da garantia de boas condições de escoamento de água e sedimentos da ribeira da Asprela, com a conceção de uma zona de fruição e lazer que funcione como polo agregador natural da maior comunidade de ensino e conhecimento da cidade”.

O investimento de cerca de dois milhões de euros “será repartido pelas várias entidades envolvidas e comparticipado pelo Fundo Ambiental em cerca de 50%, ao abrigo do aviso de Prevenção e Gestão de Riscos de Cheias e Inundações”.

Outro projeto em curso, que a autarquia destaca que conhecerá desenvolvimentos durante os próximos anos, prende-se com o desentubamento da Ribeira da Granja, no troço que atravessa o bairro municipal de Pinheiro Torres.

PUBLICIDADE

PUB
PD-Bairro Feliz