PUB
CMPorto

Porto Design Biennale vai decorrer de setembro a dezembro de 2019 no Porto e Matosinhos

Porto Design Biennale vai decorrer de setembro a dezembro de 2019 no Porto e Matosinhos

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
De setembro a dezembro de 2019, vai decorrer nas cidades do Porto e Matosinhos a 1.ª edição da Porto – Design Biennale (PDB), sob o tema “Post-Millennium Tension (Tensão Pós-Milénio)”. A Itália é o país convidado.

O evento será promovido pela Câmara Municipal do Porto e Câmara Municipal de Matosinhos e ocupará diversos locais das duas cidades.
De acordo com o seu curador geral, José Bártolo, com a PDB, “pretende-se potenciar o que já existe [na área do design]” nas duas cidades vizinhas, “com um grande evento de dois em dois anos”, mas também que a própria iniciativa seja “uma plataforma mais permanente, com ligações às indústrias, academias e empresas” ligadas ao design.
Trata-se de um projeto sem fins lucrativos, cuja missão é “promover, dinamizar e internacionalizar o pensamento e a prática em design”. A bienal, “que está desenhada para 2019 mas propõe-se que seja reposta em 2021, 2023 e por aí” adiante, tem como sede o espaço Esad-Ideia, em Matosinhos, acrescentou José Bártolo, na sessão de apresentação da iniciativa realizada esta quinta-feira.
A partir do tema central, a ideia é desenvolver diversos programas, designadamente o “Programa Escolas de Design”, com curadoria de Francisco Providência, e dois programas “Satélites”, nacional e internacional, com curadoria de Andreia Garcia e Emanuel Barbosa, respetivamente.
A PBD vai ainda promover o Prémio Nacional de Design, para que este galardão “não deixe de ser mais uma boa iniciativa descontinuada”.
Em 2018, haverá já uma conferência internacional sobre o tema geral da iniciativa, com coordenação de Ana Teixeira Pinto.
O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, que assume a presidência da PDB, adiantou que a iniciativa representa um investimento total para três anos (de 2017 a 2019) de 2,5 milhões de euros, dos quais 960 mil são assumidos pelo município do Porto e 540 mil pelo de Matosinhos.
“Vamos candidatar o projeto a fundos comunitários, para mitigar o investimento ao longo dos três anos”, disse Rui Moreira, acrescentando acreditar que o Governo, à semelhança do que faz com o ’WebSummit’, apoie a iniciativa.
O autarca disse também que estão a ser estabelecidos contactos para conseguir atrair mecenas e outros parceiros ao projeto.
Para Rui Moreira, esta bienal “representa, no fundo, a política desenvolvida pelas duas câmaras no âmbito cultural nos últimos anos, em que o design tem um impacto importante”.
“Temos o design como uma saída para a transformação da indústria portuguesa, que felizmente já não é baseada em mão-de-obra barata. Esta é uma possibilidade de internacionalizarmos aquilo que já estamos a fazer bem, trazendo também aqueles que fazem melhor”, disse.
O facto de Itália ser o primeiro país convidado “justifica bem” o que se pretende com esta iniciativa, considerou Rui Moreira.
O presidente da Câmara de Matosinhos, Eduardo Pinheiro, destacou também o “trabalho dos últimos anos” desenvolvido “numa forte aposta cultural e, em específico, no design”.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
PD- Literarura Infantil