PUB
Recheio 2024 Institucional

Ponte D. António Francisco dos Santos concluída em 2025

Ponte D. António Francisco dos Santos concluída em 2025

As cidades do Porto e Vila Nova de Gaia estarão muito em breve ligadas por uma nova ponte. Batizada como D. António Francisco dos Santos, a montante da ponte Luís I, a nova ponte deverá estar “concluída e operacional” em 2025, dois anos após a edificação, foi esta quinta-feira anunciado. 

De acordo com a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, que aprovou, em reunião extraordinária, o lançamento do concurso público internacional para a conceção e construção da nova travessia, anunciada em abril de 2018, esta terá “uma extensão total de 625 metros, 300 dos quais sobre o rio, e um perfil transversal do tabuleiro de 21,50 metros”.  

A infraestrutura terá um custo total de 36,9 milhões de euros, a assegurar pelas autarquias portuense e gaiense. No que respeita à componente da ponte o valor estimado é de 16,8 milhões de euros, aos quais se somam ainda os valores para construção do tabuleiro já em área seca e as infraestruturas rodoviárias de acessos. 

Segundo a proposta, o município de Vila Nova de Gaia ficará responsável pelo pagamento de 21 milhões de euros, o que “inclui metade do valor do tabuleiro sobre o rio, ligações rodoviárias e construção em área seca”. Já a Câmara Municipal do Porto assegurará o pagamento do mesmo valor relativo ao tabuleiro e seis milhões em acessos.  

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

No que respeita a localizações, o documento indica que a ligação à ponte será feira, a norte, à avenida Paiva Couceiro, enquanto a sul, em Gaia, será feita à rotunda Gil Eanes. “Aqui, a introdução de um eixo concelhio complementar, promovendo a ligação da cota superior da zona de Quebrantões à cota inferior, com atravessamento do rio Douro, é uma previsão do Plano Diretor Municipal, sendo que a localização agora prevista assegura dois objetivos relevantes, nomeadamente: a ligação do atravessamento do rio (à cota baixa) à rotunda Gil Eanes e à Avenida D. João II, promovendo a conexão a toda a envolvente ao eixo da Avenida da República; e a futura ligação do atravessamento do rio (à cota baixa) ao nó de Quebrantões da A44/Via de Cintura Interna e, a partir daí, à futura VL10, eixo concelhio estruturante previsto que promoverá a ligação deste nó de Quebrantões à EN222 e à A29 no nó de Jaca, reestruturando por completo a rede viária da freguesia de Oliveira do Douro”, lê-se.  

A ponte D. António Francisco dos Santos permitirá “tráfego automóvel, transportes coletivos e meios suaves”, pelo que é sugerida “a instalação de uma via ciclável bidirecional e passeios nos dois lados”. 

De referir que também esta quinta-feira, a Câmara Municipal do Porto se reuniu para debater o lançamento do concurso público internacional para a conceção e construção desta nova infraestrutura. Contudo, de acordo com informação avançada, o lançamento terá avançado já, devido a críticas da oposição sobre a condução do processo. 

Rui Moreira assegurou que o executivo iria “preparar uma proposta para vir à Câmara nos próximos 15 dias”.  

PUBLICIDADE
PUB
Pingo Doce- Revista Sabe Bem