PUB
Philips S9000

Politécnico do Porto ajuda crianças do ensino básico a aprender a ler

Politécnico do Porto ajuda crianças do ensino básico a aprender a ler

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
O projeto do Instituto Politécnico do Porto, implementado em setembro junto de 238 crianças de sete escolas do concelho, visa a intervenção precoce e a antecipação de dificuldades de aprendizagem na leitura em crianças a partir dos cinco anos

O projeto, levado a cabo pelo Centro de Investigação e Intervenção na Leitura (CIIL) do Politécnico do Porto, resultou de um estudo piloto de treino em contexto escolar que envolveu, inicialmente, 80 crianças em risco de insucesso na aprendizagem da leitura do 1.º ano e que se alarga agora a mais alunos e mais estabelecimentos de ensino.
“A intervenção é eficaz se a posicionarmos muito cedo na vida da criança”, explicou à agência Lusa Ana Sucena, docente, investigadora e responsável do projeto de intervenção precoce e de promoção do sucesso na aprendizagem da leitura.
A primeira avaliação foi realizada em setembro e outubro, sendo que atualmente são 238 as crianças dos sete jardins de infância e primeiro ciclo abrangidos que participam no projeto, numa parceria do CIIL com a Câmara Municipal do Porto e o Ministério da Educação e Ciência.
A intervenção baseia-se no desenvolvimento das competências alicerce ao nível da aprendizagem da leitura, incidindo sobre as crianças a frequentar o último ano do pré-escolar e o primeiro ano do primeiro ciclo.
“A ideia é intervir antes de a criança perceber que está a ser difícil aprender a ler”, afirmou a responsável.
As 100 crianças dos jardins-de-infância que participam no projeto estão a ter sessões de trabalho duas vezes por semana, com uma equipa de sete pessoas formadas em psicologia, terapia da fala e ensino.
No que diz respeito ao primeiro ano, as sessões são diárias e incluem trabalho ao nível da descodificação e consciência fonética. Nestes alunos, os trabalhos incluem não só papel e lápis mas também o software ‘Graphogame’ desenvolvido em Português por Ana Sucena.
O projeto de intervenção abrange sete escolas – duas do Agrupamento Manoel Oliveira, duas no Agrupamento do Cerco, duas no Agrupamento Garcia de Orta e a EB de São Nicolau –, que foram escolhidas tendo em conta os resultados nas provas do quarto ano e foram as que apresentaram notas mais baixas.
No final do ano letivo, todas as 238 crianças serão avaliadas novamente e espera-se que as dificuldades tenham sido minoradas.
A equipa espera conseguir manter este projeto de intervenção no próximo ano letivo nos primeiros anos de escola e abranger mais estabelecimentos de ensino.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
PD- Literarura Infantil