Philips

Palato

Palato

Surge em 2008, em conjunto com a sócia, a chef Adelaide Miranda, num momento de reconversão da zona de Matosinhos, revela Nuno Gomes. O restaurante iniciou não só com o peixe grelhado, tradicional da rua onde está situado, mas também com os petiscos tradicionais portugueses, o que, ainda hoje, se mantém, e representa um dos ex-libris do espaço.

“Temos o cuidado de ter os melhores peixes, desde o robalo, a dourada, o rodovalho, o linguado, as lulas, o bacalhau, o polvo e as sardinhas”, mas não descuram da complementaridade dos típicos petiscos, como a alheira escangalhada, as pataniscas de bacalhau, as pataniscas de polvo, os rojões e as moelas, onde os clientes podem optar, entrar amigos, por “fazer uma seleção” e “degustar enquanto estes vão surgindo à mesa”.

O Palato é um espaço convidativo e confortável, renovado recentemente, sem perder a sua identidade, e dispõe de “uma equipa jovem e muito dinâmica”, razão pela qual apresenta as ementas traduzidas não só em inglês, mas também em espanhol, alemão e polaco. Com o objetivo de “fazer sempre diferente e melhor”, o restaurante disponibiliza um QR Code, onde com um simples clique, os clientes podem aceder, no seu telemóvel, à ementa e às respetivas informações dos alergénios e dos valores nutricionais.

Palato
Rua Heróis de França 487, Matosinhos
Telefone 229 350 936

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/gastronomia-dos-acores-e-madeira-na-sabe-bem-de-outono/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=240921-ta5&utm_campaign=sabebem63

Viva! no Instagram. Siga-nos.