PUB
Recheio 2024 Institucional

Palácio do Bolhão ganhou Prémio Nacional de Reabilitação

Palácio do Bolhão ganhou Prémio Nacional de Reabilitação

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
A reabilitação do Palácio do Bolhão, no Porto, inaugurado em março do ano passado depois de ter sofrido uma grande obra de reabilitação, recebeu um dos prémios de referência no setor, o Prémio Nacional de Reabilitação Urbana, vencendo a categoria de reabilitações com impacto social.

Os prémios foram atribuídos num jantar de gala no Palácio da Ajuda, no qual foi ainda atribuído ex-aequo o prémio de Melhor Intervenção na categoria de Impacto Social aos projetos do Palácio do Raio, em Braga, e à Reconversão do Palácio do Bolhão, no Porto.
No caso do primeiro, a intervenção foi da Santa Casa da Misericórdia de Braga, num investimento de mais de 4 milhões de euros com projeto assinado pelo ateliê Miguel Guedes Arquitetos, realizado pela Anorte. O edifício acolhe agora o Centro Interpretativo das Memórias da Santa Casa da Misericórdia de Braga.
Entre os vencedores nas várias categorias da edição deste ano do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana estão o Palácio do Raio e a Reconversão do Palácio do Bolhão (Teatro do Bolhão), o Palácio do Contador Mor, a Casa Salabert, a Pestana Pousada de Lisboa, o edifício Travessa do Abarracamento de Peniche 12, o Lisbon Work Hub, e a intervenção de Restauro e Recuperação da Igreja e Torre dos Clérigos. Foi ainda atribuído um Prémio Especial do Júri para a reabilitação da emblemática Casa de Chá da Boa Nova, em Matosinhos.
A reabilitação do Palácio do Bolhão resulta de um projeto de arquitetura de José Gigante, João Gomes e M. Fernando Santos, onde a prioridade foi a recuperação da estrutura e materiais pré-existentes, com o financiamento feito através do programa ON2, pela autarquia do Porto e pelo Ministério da Cultura.
O Porto saiu ainda destacado com a atribuição do prémio de Melhor Intervenção de Comércio & Serviços à Casa Salabert, o-learning café do Jardim Botânico, concluída em agosto passado pela AOF. O espaço ocupado pela Universidade do Porto foi recuperado em conformidade com a proposta dos arquitetos Nuno Valentim, Margarida Carvalho, Frederico Eça, Paulo Farinha Marques e da arquiteta paisagista Cristina Marques.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
PD- Literarura Infantil