Recheio

Oficina da Regueifa e do Biscoito de Valongo já abriu

Oficina da Regueifa e do Biscoito de Valongo já abriu

Dar a conhecer a história da regueifa e do biscoito, ícones da identidade gastronómica e cultural de Valongo, é o objetivo do espaço que abriu portas recentemente. Para já, a entrada na Oficina da Regueifa e do Biscoito de Valongo é livre, mediante marcação.

Localizada no Largo do Centenário, a Oficina da Regueifa e do Biscoito de Valongo (ORBV) conta a história secular da indústria da panificação na região. O objetivo do projeto é o de “não deixar morrer a memória em torno do fabrico do pão e do biscoito que caracteriza o concelho”, assim como “homenagear os valonguenses que através desta atividade profissional puseram o nome de Valongo no mapa”.

Trata-se de um moderno espaço cultural, com 510 m² de área expositiva, onde o visitante pode contar com uma área audiovisual 3D, integrada na exposição “Do Grão ao Pão”, e uma outra área mais interativa, com jogos, dedicada ao fabrico do biscoito de Valongo.

Já no Espaço Mãos Na Massa, miúdos e graúdos poderão experienciar o processo de fabrico do biscoito.

A ORBV conta ainda com uma agenda de atividades que pretendem envolver a população local e turística através de caminhadas pela Rota “Do Grão Ao Pão”, conferências, showcookings, workshops, “entre outras atividades atualmente condicionadas pela situação pandémica, mas que serão concretizadas logo que a situação epidemiológica o permitir”, adianta a Câmara de Valongo.

A Oficina da Regueifa e do Biscoito de Valongo resulta da reabilitação de um edifício centenário, até então devoluto, que já acolheu o Quartel dos Bombeiros Voluntários de Valongo e o Teatro Oliveira Zina. A obra contou com o financiamento do programa comunitário Norte 2020, representando um investimento global de 3.072.224 milhões de euros, incluindo a aquisição do edifício.

Para José Manuel Ribeiro, presidente da Câmara Municipal de Valongo, “este espaço moderno de cultura viva, além do estímulo à regeneração urbana, irá projetar a força de um invulgar património ligado à panificação, desde o roteiro do grão ao pão que liga moinhos de água e de vento, antigas e atuais padarias e biscoitarias na zona histórica, até à marcante Feira da Regueifa e do Biscoito. Tudo se conjugará nesta oficina de promoção da Regueifa e do Biscoito, durante todo o ano, para todo o mundo”.

“A panificação em Valongo é uma tradição muito antiga, que surgiu há pelo menos 500 anos, tendo sido os principais fornecedores de pão ao Porto durante séculos, mas que estava esquecida e por isso invisível, pelo que este investimento estratégico visa despertar toda uma comunidade e suas gentes criativas e talentosas para contarem uma história única, invulgar e inesquecível a quem nos visita”, acrescenta o autarca.

De forma a garantir a segurança de todos, apenas é permitida a presença de cinco visitantes em simultâneo. Todas as visitas são guiadas por um colaborador, sendo obrigatório o seu agendamento prévio, que deve ser efetuado através do 222 400 014 ou [email protected] Nesta fase inicial, e tendo em conta a atual situação pandémica, a visita ao espaço vai ser gratuita.

Posteriormente, a visita terá um custo de de 4€ para adultos, de 3€ para jovens (13-17 anos) e de 2€ para crianças (6-12 anos). Há ainda packs para grupos a 3€ por pessoa ou para famílias a 7€ no total.

Fotos: CM Valongo

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/descubra-os-sabores-do-norte-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=220121-ta5&utm_campaign=sabebem59

Viva! no Instagram. Siga-nos.