CIN - Branco Perfeito

Obras no tabuleiro inferior da Ponte Luís I arrancam esta quinta-feira

Obras no tabuleiro inferior da Ponte Luís I arrancam esta quinta-feira

Os trabalhos de reabilitação do tabuleiro inferior da Ponte Luís I arrancam esta quinta-feira, 14 de outubro, ditando, assim, a interdição da circulação automóvel durante “aproximadamente 12 meses”, prazo estimado para a conclusão da intervenção.

De forma a minimizar os impactos desta intervenção para os utentes, a Infraestruturas de Portugal (IP) anunciou que será “permitida a passagem de peões em situação condicionada através de plataformas montadas para o efeito”.

Por sua vez, o “tráfego automóvel será encaminhado por percursos recomendados”, assegurou a Câmara Municipal do Porto, explicando que “quem circular na zona da Ribeira ou zona central do Porto, e pretender aceder à margem de Vila Nova de Gaia, deverá seguir em direção à Ponte do Infante”. “Já o trânsito proveniente da zona oriental da cidade será encaminhado para a Ponte do Freixo, ao passo que o tráfego rodoviário da zona ocidental terá como acesso preferencial a Ponte da Arrábida”.

Por sua vez, quem se deslocar a partir da “Afurada ou do Cais Capelo Ivens a melhor alternativa é a avenida Mestre José Rodrigues e, daí, para a Ponte da Arrábida ou Via da Misericórdia (circular do Centro Histórico)”, indicou a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, avançando que quem se desloca da Beira-rio (Avenida Diogo Leite e Avenida Ramos Pinto) poderá fazer o acesso pela rua General Torres ou pela Via da Misericórdia (através da rua Cândido dos Reis)”.

A autarquia gaiense assegurou que durante o período de reparação do tabuleiro inferior da Ponte Luís I terá “reforço de transportes públicos” e “apoio policial” para “minimizar os problemas” decorrentes dos trabalhos.

Também a Sociedade de Transportes Colectivos do Porto (STCP) revelou, na quarta-feira, os novos percursos das linhas que ligam as cidades do Porto e Vila Nova de Gaia pelo tabuleiro inferior da Ponte Luís I. Em causa estão as linhas 900, 901, 906 e 11M, que apresentam as “melhores soluções para amenizar os efeitos causadas pelas obras” e “viabilizar a mobilidade dos clientes” da empresa.

Recorde-se que a empreitada de reabilitação e reforço do tabuleiro inferior da Ponte Luís I visa “reparar um conjunto de anomalias já identificadas”, a maioria das quais relacionadas com a corrosão superficial de elementos metálicos, e outras que venham a ser identificadas no decorrer da intervenção.

Além disso, pretende ainda efetuar a “substituição pontual de rebites, a retificação de chapas deformadas, a manutenção dos aparelhos de apoio, a substituição das juntas de dilatação, a reparação das portas de acesso aos encontros e a reabilitação dos serviços afetados”, lê-se no comunicado.

De acordo com a IP, prevê-se também “o reforço dos banzos superiores das vigas, diagonais e montantes por adição de chapas de aço, introdução de sistema de travamento longitudinal e a substituição da laje do tabuleiro”.

Com esta intervenção, a entidade acredita que será conferido à ponte, e em particular ao tabuleiro inferior, “uma capacidade resistente compatível com as sobrecargas rodoviárias atuais”, permitindo, assim, “eliminar a limitação de circulação de veículos com peso bruto superior a 30 toneladas, passando a ser admissível a circulação de veículos com peso bruto até 60 toneladas”.

“A intervenção no tabuleiro inferior tem ainda em vista a redução das vibrações induzidas pela passagem de grandes grupos de peões durante eventos festivos ou desportivos, controlando-se as vibrações horizontais à custa do aumento da rigidez e aumento da massa do tabuleiro”.

Os trabalhos em causa estão orçados em cerca de 3,3 milhões de euros e, de acordo com José Serrano Gordo, vice-presidente da IP, a empresa colocará “todo o seu empenho para que obra decorra dentro dos prazos previstos”.

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=carne&utm_campaign=sabordomes