CIN Cinacryl

Música influencia qualidade do sono

Música influencia qualidade do sono

No dia em que se assinala o Dia Mundial da Música, a VIVA! desvenda-lhe alguns dos benefícios desta arte, considerada um hobby para grande parte dos cidadãos e uma forma de terapia para outros tantos, sobretudo no que ao sono diz respeito.

Os especialistas de sono indicam que há uma série de fatores que influenciam uma boa noite de sono, nomeadamente “comer bem, treinar, respirar ar puro e acordar à hora certa todos os dias”. Contudo, ouvir música antes de dormir é “uma das maneiras mais eficazes e acessíveis de melhorar a qualidade do sono”.

A afirmação é da Emma, que assegura que “ouvir música antes de dormir pode ajudar a adormecer mais rápido e a dormir melhor”, o que irá contribuir para “uma melhor qualidade de vida geral”. “O stresse é, atualmente, um dos principais fatores que contribui para o sono insatisfatório, já que aumenta o estado de alerta e mantém os nossos cérebros a funcionar enquanto tentamos obter aqueles “Zs” tão importantes. A música demonstrou melhorar a qualidade do sono em vários desses estudos”, refere, em comunicado.

De acordo com a empresa, existem duas razões principais pelas quais a música melhora a qualidade do sono. A primeira diz respeito ao facto de a música “diminuir os níveis de cortisol”, o que pode explicar a razão pela qual ajuda as pessoas a relaxar e a aliviar o stresse.

“Ao reduzir o nível de cortisol nos nossos cérebros, a música diminui o estado de alerta, ou seja, podemos desligar com mais facilidade. E quando adormecemos mais rápido, ficamos mais tempo na cama, levando a mais horas de sono precioso que nos leva a um melhor humor e uma disposição saudável ao acordarmos no dia seguinte”.

Um artigo da National Foundation of Sleep divulgou, recentemente, um estudo, realizado em 40 pacientes, divididos entre os que “ouviam música antes de dormir” e os que “não ouviam música antes de dormir”, que revelou que os pacientes que ouviam música antes de dormir dormiam melhor e tinham menor consumo de propofol e menores níveis de cortisol, em comparação com os restantes.

Por sua vez, a segunda razão que evidencia o efeito da música no sono está relacionada com o facto de “acalmar partes do sistema nervoso autónomo”. Os especialistas indicam que ouvir música antes de dormir “leva a um melhor relaxamento ao acalmar o sistema nervoso autónomo”, responsável por controlar os processos corporais inconscientes, como os do coração e dos pulmões. “Devido ao seu efeito calmante no sistema nervoso autónomo, ouvir música pode ajudar a regular a respiração, reduzir a pressão arterial e reduzir a frequência cardíaca”, explica a Emma.

Para Verena Senn, neurocientista e especialista em sono da Emma, integrar a audição de música à rotina de hora de dormir pode ser uma forma eficaz de apoiar o adormecimento com maior facilidade, entre muitas outras práticas, já que o sono é individual e cada um tem as suas próprias necessidades e preferências. “Ouvir música afeta o sistema nervoso simpático, reduzindo a sua atividade. Diminui a pressão arterial, a frequência cardíaca e respiratória. Também ajuda a relaxar os músculos e regula a hormona cortisol, o que reduz a sensação de stresse e ansiedade. Quando opta por incluir ouvir música na sua rotina de dormir, pode ajudar o seu corpo a relaxar, a acalmar-se e a preparar-se para o sono”, rematou a responsável.

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/livro-de-receitas-quatro-estacoes/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=111021-ta5&utm_campaign=quatroestacoes

Viva! no Instagram. Siga-nos.