CIN - VinylMatt

Ligação férrea entre Região Norte e Galiza já tem acordo na metodologia

Ligação férrea entre Região Norte e Galiza já tem acordo na metodologia

No âmbito da segunda edição dos “Diálogos Gallecia”, que decorreu na manhã de segunda-feira, o presidente da Câmara Municipal do Porto revelou que o Governo já tinha chegado a acordo relativamente à metodologia da ligação férrea entre a Região Norte de Portugal e a Galiza, um “velho sonho”, que deverá estar cumprido dentro de uma década.

“Uma das questões que se colocava, e que não se conseguia resolver, era se deveria ser bitola ibérica [termo que se aplica à largura dos carris] ou bitola europeia (…) As informações que tenho é que há a determinação em manter bitola ibérica”, afirmou, no Teatro Municipal do Porto – Rivoli, onde foi debatido o futuro da região Norte e da Galiza, numa sessão que contou também com a presença de Alberto Núñez Feijóo, presidente do Governo Regional da Galiza.

De acordo com Rui Moreira, a bitola ibérica traz vantagens, nomeadamente pelo facto de “permitir pequenos percursos”. “Se fosse feita em bitola europeia, ela iria permitir apenas ponto a ponto, para grandes distâncias. Ao fazer bitola ibérica temos a possibilidade de fazer serviços combinados (…), aproveitando toda a capilaridade da ferrovia espanhola que é muito mais avançada que a nossa”, considerou.

Nas palavras do autarca, a ligação em causa traduz-se na “concretização de um velho sonho”: “uma ligação da fachada Atlântica, que faça uma ligação rápida, segura e eficiente entre a Lisboa e Corunha”.

“Haverá uma duplicação da linha do Norte, entre Lisboa e Porto, e a partir do Porto-Campanhã a ligação irá pelo aeroporto até à fronteira, ligando depois à rede espanhola”, adiantou ainda.

Para o presidente da Câmara Municipal do Porto, a ligação deverá estar concluída “num período de tempo de qualquer coisa como dez anos”. O mesmo considera Alberto Núñez Feijóo, que assinalou que o prazo “de uma década será prudente” para concluir a realização de todos os trabalhos.

O Norte de Portugal e a Galiza, destacou o presidente do Governo Regional da Galiza, sempre tiveram como objetivo fundamental “unir e coser os nossos territórios, para poder formar uma eurorregião”.

De acordo com Feijoo, “o Governo português disse claramente ao Governo espanhol que a sua prioridade é Lisboa-Porto-Vigo”. “Esta é uma grande notícia, penso que é boa para Portugal e boa para Espanha. Não tem tudo de se concentrar de forma central, através de Madrid, é um erro. Vive mais gente nesta zona, há uma atividade económica superior e é uma forma também de entrar nas cidades espanholas através da Galiza”, sublinhou.

“Espero que o Governo português e o Governo espanhol priorizem dentro dos fundos europeus estes investimentos”, assinalou.

Para o autarca portuense, a ligação de Madrid à Galiza “potencia também a região”. “A partir do momento em que esteja a funcionar, o que eu quero é que nós consigamos, com esta nova linha que faz a ligação entre Lisboa, Porto, Vigo e Corunha, é pegar na malinha, sair na estação, e entrar imediatamente no TGV [Trem de Grande Velocidade]”, completou.

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=carne&utm_campaign=sabordomes