Recheio

Junho de 2020 foi o mês mais quente desde que há registos

Junho de 2020 foi o mês mais quente desde que há registos

De acordo com o serviço europeu Copernicus, o mês de junho foi o “mais quente desde que se começaram a registar os dados”, tendo um “aumento de 0,53º centígrados acima da média verificada no período 1981-2010”.

Na Sibéria, os termómetros subiram para “valores anormais”, indicou o serviço europeu, citado pelo Observador, onde se lê que naquela região russa “a temperatura média alcançou uma subida de 10º C, mais do que os valores sazonais que se costumam verificar no mês de junho”.

De acordo com os dados divulgados, o dia 20 de junho terá sido o mais quente, atingindo o recorde de 37 graus.

“No mesmo dia, na cidade russa de Verkhoiansk foi notado um pico de 38ºC, que os analistas apontam como um possível recorde para a região, um fenómeno que está a ser estudado pela Organização Meteorológica Mundial”, lê-se ainda.

Os investigadores acreditam que a força do vento e uma cobertura de neve particularmente baixa poderão estar na origem das “temperaturas excecionais” que se registaram na região.

Junho de 2020 foi assim o mês mais quente desde que há registos, seguido de 2019 e 2016, prevendo o serviço europeu Copernicus que, nos próximos cinco anos, a temperatura média no mundo venha a atingir valores recorde.

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/livro-de-receitas-desperdicio-zero/?utm_source=vivaporto&utm_medium=mrec&utm_term=mrec&utm_content=231020-duplicacaoselos&utm_campaign=desperdiciozero

Viva! no Instagram. Siga-nos.