PUB
PD- Literatura Infantil

Julho foi dos meses mais quentes de sempre

Julho foi dos meses mais quentes de sempre

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) classifica o mês de julho deste ano, em Portugal continental, como extremamente quente em relação à temperatura do ar e muito seco em relação à precipitação.

“Entre os dias 07 e 14 de julho foram registados 98 novos recordes de temperatura máxima, com o maior número de recordes absolutos no dia 14 e mensais no dia 13”, afirma o organismo.

O IPMA destaca também que durante o mês de julho os valores de temperatura do ar estiveram quase sempre muito acima do valor normal, com períodos excecionalmente quentes, como entre os dias 7 e 17, 20 e 26 e os dias 29 e 31.

Os 47ºC registados na estação do Pinhão, no dia 14, são salientados pelo Instituto, que chama também a atenção para a persistência de valores muito altos de temperatura mínima, média e máxima em vários dias. Segundo o IPMA o 13 dia foi o mais quente deste ano no continente e o quinto mais quente deste século.

Este caráter excecional, de extremamente quente, contribuiu para que o período de janeiro a julho deste ano fosse o terceiro mais quente desde há 92 anos, só ultrapassado pelos períodos idênticos de 2020 e 2017.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

Também a Organização Meteorológica Mundial (OMM), uma agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU), com sede em Genebra, confirmou que o mês passado foi dos mais quentes de que há registo no mundo.

“O mundo acabou de conhecer um dos três meses de julho mais quentes de que há registo. E, claro, como todos sabemos, uma onda de calor muito prolongada e intensa afetou algumas partes da Europa”, sublinhou a porta-voz da OMM, Clare Nullis, em conferência de imprensa.

Em julho a OMM apelou a uma “tomada de consciência” dos decisores políticos para ondas de calor como a que está atualmente a ocorrer na Europa, que se espera que se tornem mais frequentes devido às alterações climáticas, pelo menos até aos anos 2060.

Além do calor, partes do mundo estão a sofrer uma seca severa. De acordo com a OMM, julho foi mais seco do que a média em grande parte da Europa, a maior parte da América do Norte, grandes partes da América do Sul, Ásia Central e Austrália.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
Pingo Doce- Revista Sabe Bem