PUB
Recheio 2024 Institucional

Investigadores do Porto desenvolvem aplicação que efetua rastreios de pele e avalia risco de melanoma

Investigadores do Porto desenvolvem aplicação que efetua rastreios de pele e avalia risco de melanoma
A tecnologia SkinLesionsRS vai permitir efetuar rastreios de pele e avaliar o risco de melanoma, de forma mais eficiente e com menor taxa de erro, através de imagens capturadas com o ‘smartphone’.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

“O cancro da pele corresponde a um terço de todos os cancros e o melanoma maligno é responsável pela maioria das respetivas mortes”, explicaram à Lusa os investigadores Maria Vasconcelos e Luís Rosado, do centro de investigação Fraunhofer Portugal AICOS, do Porto, responsáveis pelo projeto SkinLesionRS, que está a ser desenvolvido desde 2011.
A tecnologia vai permitir melhorar o processo de referenciação para lesões de pele entre centros de saúde e departamentos de dermatologia dos hospitais, tendo sido desenvolvida de acordo com as normas da Direção-Geral de Saúde (DGS) para aquisição de imagens da pele para rastreio teledermatológico.
A aplicação, “simples e intuitiva”, foi otimizada para minimizar erros e facilitar a recolha e registo de dados dermatológicos relevantes, através de algoritmos de controlo de qualidade da imagem e captura automática.
O módulo de avaliação automática do risco de melanoma, a partir de imagens de lesões de pele, visa auxiliar os especialistas no processo de triagem.
Os investigadores estão ainda a trabalhar num módulo adicional de avaliação do risco de melanoma, a partir de imagens da pele capturadas com ‘smartphones’, com a finalidade de funcionar como um sistema de apoio à decisão clínica.
De acordo com os investigadores, este projeto surgiu para colmatar dificuldades associadas ao processo de aquisição de imagens com qualidade e resolução suficiente, possíveis de serem utilizadas de forma efetiva no processo de triagem dermatológico.
O SkinLesionsRS, do qual faz também parte o coordenador de desenvolvimento de novos projetos da Fraunhofer Portugal AICOS, Nuno Felício, é apoiado pelo RESOLVE, um programa do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S) que auxilia iniciativas inovadoras, com potencial de se traduzirem em soluções para o benefício do doente e dos profissionais de saúde.
De acordo com a agência Lusa, o centro Fraunhofer Portugal AICOS tem desenvolvido investigação na área da dermatologia “mobile” desde 2011, inicialmente através do projeto interno “Melanoma Detection”, que deu origem a uma base de dados de imagens de lesões de pele anotadas por especialistas, disponibilizada, posteriormente, à comunidade científica. Esta investigação decorreu em parceira com o departamento de Dermatologia do Instituto Português de Oncologia do Porto (IPO-Porto).

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
Pingo Doce- Revista Sabe Bem