PUB
Recheio 2024 Institucional

INESC TEC lidera projeto para aumentar qualificação de investigadores

INESC TEC lidera projeto para aumentar qualificação de investigadores

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
O Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), do Porto, lidera um projeto para qualificar um grupo de investigadores, orientado principalmente para a investigação marítima, com o objetivo de melhorar o desempenho nesta área.

Com o ‘StrongMar’ pretende-se também “aumentar o potencial científico e tecnológico de Portugal” e o “investimento em investigação e desenvolvimento nacional”, bem como contribuir para a exploração sustentável do mar.
No projeto participam a Universidade de Girona, em Espanha, as universidades de Aberdeen e Heriot-Watt, na Escócia, a NATO – Science & Technology Organization e o Centro de Investigação Tecnológica do Algarve – CINTAL.
Este é um dos 18 projetos em que o INESC TEC está envolvido, que representam cerca de 60 milhões de euros, com o objetivo de desenvolver sistemas e tecnologias para o mar, até 2018.
O instituto tem trabalhado na criação de protótipos neste setor, com o intuito de estabelecer um polo de competências tecnológicas em Portugal, orientadas “especialmente para o mar profundo”.
Outra das finalidades destes trabalhos é contribuir para a extensão da plataforma continental nacional, pedido que se encontra em análise na Organização das Nações Unidas (ONU). Caso seja aceite, a extensão “vai fazer com que a área do país cresça até aos quatro milhões de quilómetros quadrados, o que representa crescer mais de 40 vezes quando usamos por referência a atual área de Portugal”, lê-se em comunicado.
Outros dos projetos nacionais destinam-se à gestão de processos portuários de forma integrada, à criação de sistemas de calibração para aquacultura e de uma Participa também em projetos financiados pelo programa EEA Grants, que buscam a mobilização de plataformas robóticas por longos períodos de tempo em localizações oceânicas remotas e a criação de um protótipo para monitorização oceânica.
Conseguir acesso à internet a mais de 100 quilómetros da costa e a gerir os dados ao nível da biodiversidade em montanhas submarinas em Portugal são outros dos objetivos dessas investigações.
O INESC TEC colabora ainda em três projetos de capacitação científica, sendo um deles o ‘StrongMar’, e está presente em quatro redes de colaboração, “em que o mar assume um papel importante”.

PUBLICIDADE

PUB
Pingo Doce- Revista Sabe Bem