CIN - Branco Perfeito

Hospital Santo António recebe câmaras de proteção profissional

Hospital Santo António recebe câmaras de proteção profissional

O movimento “Todos Por Quem Cuida” vai oferecer câmaras de proteção profissional ao ato de entubação a todos os hospitais do país, o que permitirá reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus e outros agentes infeciosos. Os equipamentos chegaram esta segunda-feira ao Hospital de Santo António, no Porto.

No total, serão entregues 500 unidades em todo o país, não só aos hospitais do Serviço Nacional de Saúde, mas também do setor social e privado, no âmbito de uma ação da conta solidária criada pela Ordem dos Médicos e Ordem dos Farmacêuticos, com o apoio da APIFARMA – Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica e da sociedade civil.

As “caixas de entubação” são um equipamento de proteção para os profissionais de saúde que se encontram blocos operatórios e nas UCI, que precisam de realizar procedimentos em que existe um elevado risco de produção de aerossóis, como a entubação e/ou extubação de doentes.

“Estas caixas funcionam como uma barreira física entre o doente e os profissionais nestes momentos, mantendo a visibilidade do procedimento durante a sua execução. Estes são uns dos procedimentos com maior risco de infeção pelo novo coronavírus dada a elevada aerossolização associada. Com estes equipamentos, diminui-se significativamente o risco, com a vantagem de serem equipamentos reutilizáveis”, explica o comunicado enviado à VIVA!. No entanto, “a utilização destas caixas não exclui a utilização dos restantes equipamentos de proteção individual e as medidas de higienização já conhecidas”.

Fabricadas em policarbonato – um material que permite o uso de materiais alcaloides para a sua desinfeção -, as caixas de proteção foram desenvolvidas e testadas por especialistas, em ambiente hospitalar, em parceria com a indústria nacional portuguesa.

 “Com esta oferta, o fundo pretende dar o seu contributo a todos os hospitais do país, com a oferta de um equipamento validado por técnicos que pode ajudar a minimizar o risco a que os profissionais de saúde estão expostos, nomeadamente neste tipo de procedimentos que são praticados nos blocos operatórios e nas unidades de cuidados intensivos de todo o país”, assinala a nota.

A iniciativa “Todos Por Quem Cuida” possibilita a entrega de donativos financeiros, mas também de equipamentos hospitalares, equipamentos para proteção individual e outros materiais determinantes para a segurança e qualidade dos cuidados prestados aos portugueses.

Destina-se a apoiar médicos, enfermeiros, farmacêuticos, bombeiros, cuidadores, assistentes operacionais, secretários clínicos, secretários clínicos, técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica, e tantos outros, mas, também as forças de segurança, bombeiros, cuidadores, entre outras profissões chamadas a combater a Covid-19.

A iniciativa já juntou mais de 700 mil euros. Os contributos podem realizar-se através de Transferência Bancária para a Conta Solidária “Todos Por Quem Cuida” (IBAN PT50 0035 0646 00017662 930 21).

O boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta segunda-feira revela que, nas últimas 24 horas, houve mais 163 infetados pelo novo coronavírus em Portugal, elevando o número total para 24027. O número de vítimas mortais também aumentou: há 928 mortes provocadas pela Covid-19 no nosso país (mais 25 do que no domingo).

Portugal registou até esta segunda-feira um total de 928 mortes (mais 25 do que no domingo) e um total de 24.027 infectados (mais 163 do que no domingo), o que corresponde a um aumento de novos casos de 0,7%, o valor mais baixo desde o início do surto em Portugal. Há 995 pessoas internadas (menos dez do que no domingo) e 176 em unidades de cuidados intensivos (menos seis do que no dia anterior); 1357 pessoas recuperaram da doença.

Os dados divulgados esta segunda-feira revelam ainda que há 30703 pessoas sob vigilância e 5091 a aguardar os resultados das análises laboratoriais. Há 905 internados, dos quais 176 estão nos cuidados intensivos. 1357 pessoas já recuperaram da doença.

A região norte continua a ser a mais afetada pelo novo coronavírus (14496), seguida de Lisboa e Vale do Tejo (5556). O centro do país regista 3252 casos; o Alentejo tem 189 e o Algarve contabiliza 328. Os Açores têm 120 infetados e na Madeira há 86 casos.

Ainda que a região norte seja a mais afetada, o concelho de Lisboa é aquele que contabiliza mais casos: são 1413. Segue-se Vila Nova de Gaia (1263), Porto (1211), Braga (1019), Matosinhos (1017) e Gondomar (966).

PUB
www.pingodoce.pt/campanhas/sabor-do-mes/?utm_source=cm&utm_medium=banner&utm_term=leaderboardmobile&utm_content=peixe&utm_campaign=sabordomes