PUB
Recheio 2024 Institucional

Hospital de S. João quer melhorar e tornar serviço excelente

Hospital de S. João quer melhorar e tornar serviço excelente

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
O novo presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar São João, António Joaquim Freitas de Oliveira e Silva, quer obter bons resultados, prestar um serviço de excelência aos doentes e fortalecer a ligação à Faculdade de Medicina.

O responsável hospitalar, que se encontrou, esta terça-feira, com o ministro da Saúde, Adalberto Campos, disse encarar esta missão com orgulho, por lhe terem reconhecido qualidades para dirigir tão “grandiosa e complexa” instituição, e humildade, porque só com o envolvimento de todos os profissionais de saúde poderá alcançar os resultados esperados.
A nova administração do Centro Hospitalar São João, com um mandato de três anos, é constituída por António Joaquim Freitas de Oliveira e Silva, Luís Carlos Fontoura Porto Gomes, Ilídio Renato Garrido Matos Pereira, José Artur Osório de Carvalho Paiva (Diretor Clínico) e Maria Filomena Passos Teixeira Cardoso (Enfermeira Diretora), respetivamente, para os cargos de presidente e vogais executivos.
O novo presidente referiu que a anterior direção, sob a liderança de António Ferreira, alcançou resultados “excecionais” em todas as vertentes, desde a qualidade assistencial aos resultados económico-financeiros.
António Joaquim Freitas de Oliveira e Silva salientou que quer continuar a obter bons resultados e prestar serviços de qualidade aos doentes, sendo essa a missão do Centro Hospitalar de São João.
“Para cumprir a nossa missão ninguém é dispensável, independentemente do lugar que ocupa no hospital. Para além das pessoas, devemos estar dotados de sistemas organizativos que permitam rentabilizar os recursos à nossa disposição”, vincou.
Segundo o responsável, a intenção é tornar o centro hospitalar cada vez mais autónomo com orçamentos negociáveis de acordo com planos de atividades plurianuais, objetivos de produção e de qualidade bem definidos, aplicação de políticas de incentivos e de recompensas e autonomia progressiva na gestão de recursos, respeitando o enquadramento legal.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
Pingo Doce- Revista Sabe Bem