Sabor do Mês Setembro (talho) - PD

Governo admite lançar alerta caso o nível de poeira no ar se agrave

Governo admite lançar alerta caso o nível de poeira no ar se agrave

“Estando a Agência Portuguesa do Ambiente a acompanhar diariamente a evolução deste episódio de intrusão de poeiras do norte de África, poderá, em caso de observância de agravamento da situação de forma generalizada no território nacional e persistente no tempo, [lançar] uma ação adicional, concertada com o Ministério da Saúde, para a emissão de uma nota informativa à população, tal como em situações anteriores”, disse à Lusa fonte oficial do ministério da Agricultura e Ambiente.
De acordo com a entidade, “as partículas em suspensão PM10 [partículas inaláveis com diâmetro inferior a 10 milésimos de milímetro] têm efeitos na saúde e têm um valor limite diário”, ainda que não exista um limiar de alerta para as partículas, quer na legislação nacional quer na comunitária. “Os limiares de alerta existem para o ozono, dióxido de azoto e dióxido de enxofre, cujos efeitos agudos se fazem sentir a exposições de curta duração (1h a 3h), e para os quais existem mecanismos de alerta”, sublinhou.
Segundo o coordenador da área do ar do departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT/UNL), Francisco Ferreira, o nível de poeira na atmosfera em Portugal ultrapassa, desde sábado passado, o limite aconselhável para a saúde. “As estações de monitorização da qualidade do ar de todo o país revelam valores que estão a exceder os limites fixados pela legislação, não devido apenas à poluição relacionada com as atividades humanas, mas, sem dúvida, resultado deste fenómeno, que já dura há uns dias”, explicou.

PUB
www.pingodoce.pt/pingodoce-institucional/revista-sabe-bem/um-regresso-saboroso-com-a-sabe-bem/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=23092022-edicao69utm_campaign=sabebem