PD - Prémio de Literatura Infantil

DGS recorda cuidados a ter no frio

DGS recorda cuidados a ter no frio

O primeiro mês do ano é, regra geral, sinónimo de descida de temperatura. E, numa altura em que o frio se começa a fazer sentir em praticamente todo o território continental, é importante a adoção de alguns cuidados, nomeadamente no que respeita às pessoas com idade igual ou superior a 65 anos ou com mobilidade reduzida, crianças e portadores de doenças crónicas.

Regra geral, nos dias mais frios, os cidadãos devem tentar resguardar-se o mais possível, “manter a casa quente” e o “corpo hidratado e quente”. Mas é também importante estar “especialmente atento no caso de ter algum problema de saúde” e “manter-se em contacto e atento aos outros”.

frio

No caso de ter em casa crianças nos primeiros anos de vida, a Direção-Geral de Saúde aconselha a “não sair de casa com o bebé ou recém-nascido nos dias de frio intenso” e a, se tiver que o fazer, “agasalhar o bebé, principalmente a cabeça e as extremidades do corpo”.

Adicionalmente, é também importante utilizar “várias camadas de roupa”, ao invés de uma única peça grossa, e “dar de beber regularmente ao bebé”.

Já os cidadãos com idade igual ou superior a 65 anos e/ou mobilidade reduzida, devem seguir as recomendações gerais das autoridades de saúde e, se necessário, aconselhar-se com o médico assistente.

“[É importante] Acompanhar e apoiar pessoas idosas ou com mobilidade reduzida para que sejam seguidas as medidas adequadas em situações de frio, nomeadamente ao nível da alimentação, vestuário, cuidados com os equipamentos de aquecimento e precauções ao sair de casa” e “manter um acompanhamento de proximidade de pessoas idosas sós/isoladas ou com mobilidade reduzida”, lê-se no portal da DGS.

Na mesma nota, a autoridade salienta que as pessoas com doença crónica são mais “vulneráveis aos efeitos do frio”, pelo que é necessário “ter cuidados especiais”. Neste grupo, inserem-se pessoas com diabetes, doença cardíaca, vascular, reumática, mental, insuficiência respiratória (incluindo asma e doença pulmonar crónica obstrutiva) e ainda pessoas que tomam medicamentos psicotrópicos ou anti-inflamatórios.

A estes utentes, é recomendado ainda, além de “seguir as recomendações gerais e, se necessário, aconselhar-se com o médico assistente”, “reduzir as atividades físicas no exterior, se revelar sintomas em caso de frio intenso” e “certificar-se de que tem sempre consigo os medicamentos necessários”.

PUB
www.pingodoce.pt/responsabilidade/premio-literatura-infantil/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=26112021-pli&utm_campaign=pli

Viva! no Instagram. Siga-nos.