PUB
CIN Woodtec

Dança vai invadir Porto, Gaia e Matosinhos

Dança vai invadir Porto, Gaia e Matosinhos

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR
O festival Dias da Dança (DDD), que decorre entre 27 de abril e 13 de maio no Porto, em Matosinhos e Gaia, vai apresentar 35 espetáculos entre os quais nove estreias nacionais absolutas e oito trabalhos internacionais.

Vão ser 17 dias de dança contemporânea com 35 espetáculos, 57 récitas e mais 25 atividades relacionadas com formação que vão acontecer nas três cidades, tanto na rua como em vários espaços interiores.
O diretor artístico do DDD, Tiago Guedes, destaca a “forte programação internacional”, com quatro espetáculos franceses, de Maguy Marin (“BiT”), Yoan Bourgeois (“Celui qui Tombe”), Rachid Ouramdane (“Tordre”) e Noé Soulier (“Faits et Gestes”) e oito estreias de artistas locais perante dezenas de programadores internacionais para “virem descobrir os espetáculos portugueses” e os apresentarem além-fronteiras.
Ancorado no Dia Mundial da Dança (29 de abril), o DDD propõe um intenso circuito de programação que é assegurado pelas coproduções estabelecidas com o Teatro Municipal do Porto – Rivoli e Campo Alegre, Teatro Nacional São João, Teatro Municipal de Matosinhos – Constantino Nery, Coliseu do Porto, Fundação de Serralves, Balleteatro, Armazém 22 (Gaia) e Mala Voadora, bem como pelas parcerias com o Teatro do Bolhão, Convento Corpus Christi e Casa do Design Matosinhos.
A segunda edição do DDD, que conta este ano com 285 artistas e um orçamento de 434 mil euros, aposta no intercâmbio de gerações para que as famílias possam usufruir, tendo ainda um lado formativo “muito forte”, salientou Tiago Guedes.
Para tal, o festival DDD programou 12 oficinas e duas ‘masterclasses’, onde os alunos e artistas poderão trabalhar com os coreógrafos ao longo dos 17 dias de festival, explicou o também diretor do Teatro Municipal do Porto.
O arranque do DDD acontece a 27 de abril, pelas 21h30, no Teatro Nacional São João, no Porto, com a estreia de “Muros”, da coreógrafa Né Barros, que vai abordar a temática das migrações explorando o corpo e as identidades muitas vezes fixadas na noção de raça e de marca territorial.
No primeiro fim de semana de DDD, a coreógrafa Cláudia Dias leva ao Cine-Teatro Constantino Nery, em Matosinhos, o espetáculo “Terça-feira: Tudo o que é sólido dissolve-se no ar”, peça que mergulha na animação de Vasco Granja e nos seus desenhos animados que criavam mundos a partir de plasticina.
No mesmo palco será apresentado, nos dias 5, 6 e 11 de maio, “A Perna Esquerda de Tchaikovski”, pela Companhia Nacional de Bailado com coreografia de Tiago Rodrigues. “Night Schlafen”, por Alain Platel, sobe ao palco do Teatro Nacional São João nos dias 8 e 9 de maio, e a estreia de “Harmida”, da Companhia de Dança Kale, acontece nos dias 12 e 13 de maio, no Armazém 22, em Gaia.
Este ano, os eventos vão estar mais concentrados em Matosinhos e no Porto já que o Auditório Municipal de Vila Nova de Gaia se encontra em obras.
No dia 12 de abril, a programação do festival será apresentada numa sessão pública, num percurso de metro que liga as três cidades coorganizadoras, O evento contará com a presença de nove dos artistas nacionais que irão revelar um pouco mais dos seus espetáculos, através de instalações sonoras e visuais.

PUBLICIDADE - CONTINUE A LEITURA A SEGUIR

PUB
Pingo Doce- Revista Sabe Bem